Início Cultura 90 expressões típicas do Minho

90 expressões típicas do Minho

Descubra 90 expressões típicas do Minho, a região que foi berço da pátria, terra de gente com muita alma, aguerrida e genuína.

3032
90 expressões típicas do Minho
90 expressões típicas do Minho

90 expressões típicas do Minho

Descubra 90 expressões típicas do Minho, a região que foi berço da pátria, terra de gente com muita alma,  aguerrida e genuína.

Expressões típicas, palavras e provérbios que só no Minho se dizem e por isso somos tão genuínos. Quantas vezes ouvimos nas nossas aldeias, expressões como berregar, em vez de berrar. Ou então provérbios como: “Gente do Minho veste pano de linho.”

Sabia que já existe um dicionário minhoto? Descubra 90 expressões típicas do Minho e acrescente outras que conheça. Divirta-se!

90 expressões típicas do Minho
90 expressões típicas do Minho

basculho (mulher pouco digna)

cabaneira (alcoviteira)

serigaita (rapariga fraquinha)

sonsa (pessoa falsa)

trambolho (mal jeitosa)

azeiteiro (armante)

borra-botas (zé-ninguém)

broeiro (rude)

lingrinhas (fraquinho)

trengo (palerma)

anda conós (connosco)

aqui há atrasado (há uns tempos atrás)

esperai-de (esperem)

pra bem era (isso é que era bom)

antromilho (entre o milho)

90 expressões típicas do Minho
90 expressões típicas do Minho

balado (declive)

benda (mercearia)

retunda (rotunda)

stander (stand)

bacia, labadeira (alguidar de plástico)

migalheiro, peteiro (mealheiro)

camurcina (casaco)

carcela (braguilha)

chuço (guarda-chuva)

setiã (soutien)

ajantes (jantes)

cambra dar (câmara de ar)

caminhete (camioneta)

raiders (rails)

relote (roulotte)

(cont.)

1 COMENTÁRIO

  1. As expressões referidas como do Minho são-no também do Douro Litoral (com algumas pequenas exclusões).
    O Douro Litoral, sobretudo a sua faixa litoral, é uma espécie de prolongamento do Minho. Algumas das suas culturas produtivas são idênticas (até nos vinhos verdes) e outras são distintas e, em alguns casos, mais próximas das culturas praticadas em Trás-os-Montes (os vinhos, no entanto, continuando sempre verdes).
    As estruturas produtivas, muito ligadas à terra e consistentes com os climas, estão certamente na base de caldos culturais semelhantes, embora com algumas distinções muito individualizadas. Assim, podemos perceber idênticos falares e sotaques desde a zona de Porto/Gaia até uma faixa a norte da região Braga, e mesmo Viana, e alguns outros falares (mais que sotaques) no zona interior do Douro Litoral. No folclore observam-se as mesmas posturas culturais.
    Por fim, este destaque. A cidade do Porto, que foi sempre grande centro aglutinador, é um caldinho cultural destas três regiões, ou não tivesse sido o grande pólo integrador das migrações internas das regiões em apreço, sobretudo a partir do séc. XVIII, tempos de grande desenvolvimento produtivo e comercial (sobretudo dos vinhos), a que o estado correspondeu com o inevitável lançamento dos primeiros combóios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.