Início Cultura Língua Portuguesa: sabe o que é ironia?

Língua Portuguesa: sabe o que é ironia?

Sabe distinguir cada um dos recursos de estilo que existem? Esclareça todas as suas dúvidas: sabe o que é ironia?

ironia
Língua Portuguesa: sabe o que é ironia?

Sabe distinguir cada um dos recursos de estilo que existem? Esclareça todas as suas dúvidas: sabe o que é ironia?

O ato de comunicar é um desafio, pois depende de nós, mas também do(s) outro(s). A comunicação tanto pode ser objetiva, fria e literal, como pode ser mais livre, mais artística, mais criativa. Essa é uma das diversas riquezas da língua portuguesa, que é um património de valor incalculável, partilhado por diferentes povos, nomeadamente os que integram a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Os recursos de estilo tornam a nossa língua bem mais rica, contribuindo para que o ato de comunicar seja mais complexo e, simultaneamente, mais apaixonante. Os recursos estilísticos ou as figuras de estilo tornam a comunicação mais rica, com mais variáveis a serem levadas em linha de conta. Entre eles está a ironia.


Leia também: Língua Portuguesa: o ponto de exclamação!


Língua Portuguesa: sabe o que é ironia?

Exercício

– “(…) também meu coração, como estas flores, melhor perfume ao pé da noite exala.” Camões

– “Ele foi desta para melhor.”

– Não preparaste a tua apresentação? Então, vai correr muito bem!…

– “O rei […] deu um banquete em sua honra, com todos os condes, os marqueses, os barões e os grandes do reino.” (Italo Calvino)

– “Tu de amante o teu fim hás encontrado.” (Gregório de Matos)

– “Rios te correrão dos olhos se chorares.” (Olavo Bilac)

– “Eu não posso senão ser desta terra em que nasci.” (Jorge De Sena, «Quem a tem…»)

– “Distante, entre o escuro dos montes me esconder não poderia.”

– “O sapo e a raposa resolveram e acordaram fazer uma sementeira a meias.” (Ataíde de Oliveira (rec.), in Contos Tradicionais Portugueses, Figueirinhas, 1975)

– “A mochila a pesar toneladas de tanto livro e tanto dossier.” (Alice Vieira, Trisavó de Pistola à Cinta, Caminho, 2001)

Ironia, sabe o que é?

Se aceitou fazer o desafio e permanece ainda com dúvidas, esclareça-as prosseguindo a leitura do presente artigo.

Significado

Ironia

Termo que vem do grego eironeía, interrogação, pelo latim ironĭa-, com o mesmo significado. É uma forma de humor que consiste em dizer o contrário daquilo que se pretende dar a entender. Uso da palavra ou expressão em sentido oposto àquele que se deveria usar para definir algo.

É ainda situação, facto ou sequência de acontecimentos que contraria o que seria expectável de um modo fortuito, insólito ou caricato (sobretudo se a constatação gera um sentimento que mistura o riso com a amargura).

Ironia socrática é a atitude discursiva (característica de Sócrates, filósofo grego) de quem se declara ignorante e disposto a aprender com outro para poder dirigir-lhe algumas questões que exponham as contradições do seu pensamento e levem o interrogado a duvidar do próprio conhecimento.

É um recurso estilístico que veicula um significado diferente ou contrário daquele que deriva da interpretação literal do enunciado (exemplo: bonito serviço!).

Ironia é a figura da retórica de pensamento que se caracteriza pela distância, identificável pelo contexto, entre aquilo que é verdadeiramente dito e aquilo que na verdade se pretende dizer.

Um bom texto pode perder impacto se a ironia for demasiado subtil ou velada. O efeito da ironia esvai-se ou perde-se. Para haver sucesso na ironia, é também necessário haver a cooperação, a cumplicidade e a sagacidade do interlocutor ou do leitor, pois ele tem de perceber pela análise do conteúdo e do contexto que o que é dito ou escrito é precisamente o contrário daquilo que o autor pretende expressar.

Sarcasmo é uma figura retórica de pensamento próxima da ironia. Contudo, apresenta em relação ao destinatário uma agressividade e uma intencionalidade disfórica que não ocorre com a ironia.

Análise

Exemplo 1: A minha filha tirou umas notas fantásticas e, por isso, está de castigo!

Explicação 1: Ironia é a figura que consiste em transmitir, intencionalmente, o contrário daquilo que se pensa. Pelo contexto, percebemos não só aquilo que o autor profere, mas também aquilo que não diz, mas que fica subentendido.

Como as notas foram merecedoras de castigo, não podiam ter sido fantásticas. O autor da frase caracteriza as notas como fantásticas. No entanto, percebemos (pelo castigo imposto) que as notas foram precisamente o inverso: foram muito más.

Exemplo 2:  “(…) já os briosos homens da Polícia de Intervenção corriam a bom correr até à Cervejaria Munique, onde se refugiaram atrás do balcão (…)”. Mário de Carvalho, A Inaudita Guerra da Avenida Gago Coutinho.

Explicação 2: Ironia é a figura que consiste em transmitir, intencionalmente, o contrário daquilo que se pensa. Quando o autor define os homens da Polícia de Intervenção como briosos, está a ironizar, pois pelo contexto da frase esses homens que correm para se refugiar atrás do balcão são precisamente o oposto de briosos.


Leia também: Dúvidas de Português: as reticências


Respostas

Agora que conhece o significado do recurso estilístico em análise, já podemos voltar a analisar as frases do desafio com outro conhecimento. Seguramente que agora pode identificar melhor qual a frase que está certa (ou quais são as frases que estão certas) e quais as que estão erradas.

É ou não é uma ironia?

– “(…) também meu coração, como estas flores, melhor perfume ao pé da noite exala.” (L. Camões) X

– “Ele foi desta para melhor.” X

– Não preparaste a tua apresentação? Então, vai correr muito bem!… ✓

– “O rei […] deu um banquete em sua honra, com todos os condes, os marqueses, os barões e os grandes do reino.” (Italo Calvino) X

– “Tu de amante o teu fim hás encontrado.” (Gregório de Matos) X

– “Rios te correrão dos olhos se chorares.” (Olavo Bilac) X

– “Eu não posso senão ser desta terra em que nasci.” (Jorge De Sena, «Quem a tem…»). X

– “Distante, entre o escuro dos montes me esconder não poderia.” X

– “O sapo e a raposa resolveram e acordaram fazer uma sementeira a meias.” (Ataíde de Oliveira (rec.), in Contos Tradicionais Portugueses, Figueirinhas, 1975). X

– “A mochila a pesar toneladas de tanto livro e tanto dossier.” (Alice Vieira, Trisavó de Pistola à Cinta, Caminho, 2001). X

Fique a conhecer mais exemplos de ironia:

“Senhora de raro aviso e muito apontada em amanho de casa e ignorante mais que o necessário para ter juízo.” (Camilo Castelo Branco)

Fale um pouco mais alto. Lá da esquina ainda não o ouvem!

“Muito benigna e pródiga a Dona Inácia. Chegava à loucura por um tostão.” (Machado de Assis)

“Se acha que a vida não é boa / utilize gás da Companhia / o combustível de Lisboa” (Alexandre O’Neill)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.