Início Cultura Dúvidas de português: eufemismo, sabe o que é?  

Dúvidas de português: eufemismo, sabe o que é?  

Sabe distinguir cada um dos recursos de estilo que existem? Esclareça todas as suas dúvidas e fique a saber o que é um eufemismo?

eufemismo
Dúvidas de português: eufemismo, sabe o que é?

Sabe distinguir cada um dos recursos de estilo que existem? Esclareça todas as suas dúvidas e fique a saber o que é um eufemismo?

A comunicação nem sempre é objetiva, fria e literal. Pode ser bem mais artística, mais livre. Esse é um dos tesouros da língua portuguesa. Os recursos de estilo fornecem essa forma de comunicar mais solta.

Quem fala ou escreve, quem comunica, pode recorrer a eles para desenvolver um discurso mais florido. Entre eles estão as figuras de estilo que tornam o ato de comunicar bem mais atrativo. Quando se recorre a um recurso estilístico ou a figuras de estilo, a expressão pessoal adquire outros valores, novas dimensões. Entre eles está o eufemismo.

Dúvidas de português: eufemismo, sabe o que é?  

Recursos de estilo ou figuras de estilo

São ferramentas que permitem outras variáveis à comunicação, concedendo mais beleza, mais emoção, mais expressividade. A todo o processo linguístico de que um autor se serve para exprimir os seus pensamentos com facilidade, propriedade ou originalidade damos o nome de «recurso estilístico».


Leia também: Diz-se Obrigado ou Obrigada na Língua Portuguesa?


Entre os recursos usados pelo autor para se exprimir estão as denominações morfológicas ou as classes de palavras (nomeadamente as onomatopeias, a adjetivação, …). Algo diferente são as figuras de estilo (também ditas como gramaticais ou de retórica) que representam um campo particular dos recursos estilísticos. Este termo remonta à antiguidade grega, à Grécia, ao campo da retórica.

Existem várias figuras de estilo. Parte delas são centradas num nível fónico (entre elas a aliteração, a onomatopeia, a rima, o ritmo,…); mas há também figuras de estilo cujo foco é o nível morfossintático (por exemplo: anáfora, elipse, enumeração, pleonasmo, quiasmo, reduplicação). Há ainda figuras de estilo mais centradas no nível semântico (como: alegoria, animismo, antítese, comparação, eufemismo, interrogação retórica, ironia, oximoro, paradoxo,…).

Exercício

Está preparado(a) para enfrentar o desafio que temos para si e, assim, testar os seus conhecimentos sobre recursos estilísticos? Responda então à questão: Qual (ou quais) das seguintes frases é/são exemplo de um eufemismo?

– “Manda esquipar batéis, que ir ver queria / Os lenhos em que o Gama navegava.” (Luís de Camões, Os Lusíadas, VII, 73).

– “Umas carabinas que guardava atrás do guarda-roupa, a gente brincava com elas de tão imprestáveis.” (José Lins do Rego).

– “Os vales aspiram a ser outeiros, e os outeiros a ser montes, e os montes a ser Olimpos e a exceder as núveis.” (Padre António Vieira).

– “Que arcanjo teus sonhos veio / Velar, maternos, um dia?” (Fernando Pessoa).

– “Senhora de raro aviso e muito apontada em amanho da casa e ignorante mais que o necessário para ter juízo (Camilo Castelo Branco).

– “Tirar Inês ao mundo determina” (Camões, Os Lusíadas, III, 123).

– “Cesse tudo o que a Musa antiga canta”.  (Luís de Camões).

– “O Mito é o nada que é tudo”. (Fernando Pessoa).

– “O homem é o lobo do homem”. (Thomas Hobbes).

– “Estas sentenças tais o velho honrado / Vociferando estava, (…)” (Luís de Camões).

Se enfrentou o nosso desafio, testemunhou que há uma grande diversidade de recursos de estilo. Se não está absolutamente certo de qual frase representa um eufemismo, é sinal de que não tem todo o conhecimento sobre o conceito. Por isso, convém então analisá-lo melhor.

Significado

O termo eufemismo advém do grego euphemismós, “emprego de palavra favorável”, pelo latim tardio euphemismu, pelo francês euphémisme, ambos com o mesmo significado. O nome masculino eufemismo é referente a um recurso estilístico que consiste em suavizar uma ideia pesarosa, desagradável, negativa, grosseira, indelicada, repugnante, recorrendo a uma expressão mais agradável.

É, assim, uma figura retórica de pensamento que atenua uma ideia desagradável, apresentando-a de uma forma mais cuidada e delicada. Assim, há uma redução do impacto de um enunciado indesejado pelo destinatário, que pode ser o leitor. Por exemplo, “A Maria Piedade foi para o céu, não resistiu a uma longa batalha contra o cancro”. É frequente os eufemismos advirem de tabus (sejam eles religiosos, morais, sexuais). O uso de certas expressões mais ligeiras e suaves para designar realidades mais chocantes tornou-se comum. São princípios de delicadeza que regem as relações interpessoais. A morte é um dos temas que está mais associado a eufemismos.

Análise

Vejamos os seguintes exemplos:

Exemplo 1: “Roga a Deus, que teus anos encurtou, / que tão cedo de cá me leve a ver-te,” (Luís de Camões, Lírica Completa, INCM, 1994)

Explicação 1: Aqui constatamos o recurso a dois eufemismos. Camões visa suavizar a ideia da morte em ambos os casos. Primeiro, perante a morte da amada. Depois, pela reação, pois o sujeito poético deseja morrer.

Exemplo 2: “Ele faltou à verdade durante o julgamento.”

Explicação 2: É um eufemismo comum. Sabemos que dizer “ele mentiu” tem uma conotação muito negativa e agressiva. Ao usar-se essa expressão de “faltar à verdade” diz-se o que se quer dizer (“ele mentiu”) sem ser demasiado agressivo.

Respostas

Agora que o significado deste recurso estilístico foi devidamente analisado, havendo um conhecido mais aprofundado sobre o conceito, estamos aptos a regressar ao desafio com outra capacidade.

Analisemos de novo as frases apresentadas no nosso exercício, identificando agora com total conhecimento qual a que está certa (ou quais as que estão certas) e quais as que estão erradas.


Leia também: Dúvidas de português: escreve-se extrato ou estrato?


É ou não é um eufemismo?

– “Manda esquipar batéis, que ir ver queria / Os lenhos em que o Gama navegava.” (Luís de Camões, Os Lusíadas, VII, 73). X

– “Umas carabinas que guardava atrás do guarda-roupa, a gente brincava com elas de tão imprestáveis.” (José Lins do Rego). X

– “Os vales aspiram a ser outeiros, e os outeiros a ser montes, e os montes a ser Olimpos e a exceder as núveis.” (Padre António Vieira). X

– “Que arcanjo teus sonhos veio / Velar, maternos, um dia?” (Fernando Pessoa) X

– “Senhora de raro aviso e muito apontada em amanho da casa e ignorante mais que o necessário para ter juízo (Camilo Castelo Branco). X

– “Tirar Inês ao mundo determina” (Camões, Os Lusíadas, III, 123) ✓

– “Cesse tudo o que a Musa antiga canta”.  (Luís de Camões) X

– “O Mito é o nada que é tudo”. (Fernando Pessoa) X

– “O homem é o lobo do homem”. (Thomas Hobbes) X

– “Estas sentenças tais o velho honrado / Vociferando estava, (…)(Luís de Camões). X

Fique a conhecer mais exemplos de eufemismo:

– “Algum dali tomou perpétuo sono.” (Camões, Os Lusíadas, VI, 65)

– “Ele foi desta para melhor”

– “A rapariga era desprovida de beleza.”

– “Verdades que esqueceram de acontecer.” (Mário Quintana)

– “…Só porque lá os velhos apanham de quando em quando uma folha de couve pelas hortas, fazem de nós uns Zés do Telhado!” (Aquilino Ribeiro).

QUIZ

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.