Início Histórias Anedotas portuguesas engraçadas: Juras de fidelidade

Anedotas portuguesas engraçadas: Juras de fidelidade

Rir sempre faz bem! O seu quotidiano vai ter mais graça depois de ler a anedota do dia. Divirta-se com anedotas portuguesas: Juras de fidelidade.

Juras de fidelidade
Anedotas portuguesas engraçadas: Juras de fidelidade

Do mais novo ao mais experiente, uma boa anedota encanta e cativa toda a gente. Rima e é verdade. A anedota é uma ferramenta muito importante em termos sociais. Divirta-se com anedotas portuguesas: Juras de fidelidade.

Ao longo da vida, temos momentos em que precisamos de nos destacar entre os demais e fazer uma piada ou contar uma breve anedota possibilita que sejamos bem vistos perante alguém ou perante um grupo.

Mesmo na escola, enquanto criança, jovem ou já adulto, sabemos que ser engraçado e ter piada permite-nos destacar e estarmos numa posição privilegiada.

Também em momentos de confraternização, ou mesmo em encontros fortuitos e inesperados como quando estamos com um vizinho no elevador, a piada pode proporcionar uma boa impressão ou prevenir-nos de viver um momento de silêncio constrangedor.

Anedotas portuguesas engraçadas
Anedotas portuguesas: Teste à honestidade

As anedotas visam causar ruído, provocar uma sonora e incontrolável gargalhada. Por vezes, só se alcança uma série de sorrisos. Tal é sinal que ou a piada não era assim tão boa ou o nosso trabalho a dar corpo à anedota não foi realizado da melhor forma.

Existem diferentes tipos de piada que exploram diferentes temáticas e dimensões: o humor negro (comum nas piadas britânicas), trocadilhos e jogos de palavras, as picantes (envolvendo um contexto de erotismo, sensualidade ou sexualidade), as preconceituosas (hiperbolizando vícios ou características associados a determinados povos, por exemplo), as piadas secas. Enfim é um ramo tão vasto quanto a criatividade humana.

Portugal tem uma série de humoristas que construíram uma carreira sólida à custa do seu sentido de humor e da sua capacidade para contar piadas e anedotas.

Fernando Rocha, Ricardo Araújo Pereira, Bruno Nogueira e Herman José (o “pai” da comédia em Portugal) estão entre alguns dos grandes nomes nacionais contemporâneos.

Juras de fidelidade
Anedotas portuguesas: Teste à honestidade

Definição de anedota

Termo que vem do grego anékdotos, “inédito”, e do francês anecdote, significando já anedota. Narração breve e geralmente jocosa de um facto histórico ou imaginário. No sentido figurado, uma anedota pode ser uma pessoa que provoca o riso.

Piada, além do pio das aves, refere-se a algo que é engraçado; chalaça, graça. Um dito supostamente cómico em que está implícita uma censura a alguém ou a algo.

No sentido figurado, remete para pessoa ou coisa considerada ridícula ou pouco eficiente. Existem ainda as piadas de mau gosto que são histórias grosseiras ou inconvenientes.

Juras de fidelidade

Um casal de namorados caminha a passos largos para o grande dia, o dia do casamento! Enquanto preparam o copo de água, a roupa dos noivos e tudo o que há para tratar, o noivo começa a sentir-se algo nervoso e inseguro com o passo que está prestes a dar. Não que não esteja seguro quanto aos sentimentos que nutre pela sua futura mulher, mas a monogamia era coisa que o incomodava.

Mulherengo e pinga-amor, imaginar uma vida inteira só com aquela mulher era uma ideia que o assustava. Após uma despedida de solteiro com amigos, muita bebida e companhias femininas quanto baste, e a apenas alguns dias do casamento, o noivo decide ir falar com o padre:

– Sr. Padre, precisava de falar consigo.

– Diz, meu filho. – responde o padre.

O noivo entrega ao padre um envelope que guardava 1000€.

– Que dinheiro é este, meu filho? – pergunta o padre.

– Sr. Padre, esse dinheiro é para si, se me prometer que no dia do casamento, na altura dos votos, omite aquela parte do “… ser fiel…”.

O Padre hesita, volta a olhar para dentro do envelope e eis que declara:

– Muito bem, meu filho. Nesse momento da celebração, irei omitir essa passagem.

Finalmente, chegou o dia do casamento. O noivo estava bem mais calmo, agora que tinha a certeza de que o padre iria omitir aquela parte mais comprometedora para si. A cerimónia começa e eis que a determinada altura da celebração o padre pergunta ao noivo:

– Promete viver apenas para a sua mulher, obedecer a cada uma das suas ordens, levar-lhe o pequeno-almoço à cama todos os dias e jurar perante Deus que nunca terá olhos para outra mulher?

O noivo corado, embasbacado e sem palavras, acabou por concordar e responder “sim”.

Mais tarde, no fim da cerimónia, o noivo aproxima-se do padre e, discretamente, diz-lhe:

– Então, Sr. Padre?! Pensei que tínhamos um acordo! Dei-lhe os 1000€ e acabou por me obrigar a fazer juras de fidelidade?!

O padre tira o envelope do bolso e devolve-lhe os 1000€:

– Sinto muito, meu filho. Mas a noiva triplicou a tua oferta!

Márcio Magalhães
Um Mestrado em Ensino não fazia prever o percurso consolidado e bem sucedido no marketing digital e na produção de conteúdos, com publicação regular de artigos em diversas plataformas. (exclusivamente responsável pelo conteúdo textual)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.