Início Histórias Anedotas portuguesas: Teste à honestidade

Anedotas portuguesas: Teste à honestidade

Rir faz sempre bem! Conheça a anedota do dia que fará o seu quotidiano ter mais graça. Divirta-se com anedotas portuguesas: Teste à honestidade.

Teste à honestidade
Anedotas portuguesas: Teste à honestidade

Do mais novo ao mais experiente, uma boa anedota encanta e cativa toda a gente. Rima e é verdade. A anedota é uma ferramenta muito importante em termos sociais. Divirta-se com anedotas portuguesas: Teste à honestidade.

Ao longo da vida, temos momentos em que precisamos de nos destacar entre os demais e fazer uma piada ou contar uma breve anedota possibilita que sejamos bem vistos perante alguém ou perante um grupo.

Mesmo na escola, enquanto criança, jovem ou já adulto, sabemos que ser engraçado e ter piada permite-nos destacar e estarmos numa posição privilegiada.

Também em momentos de confraternização, ou mesmo em encontros fortuitos e inesperados como quando estamos com um vizinho no elevador, a piada pode proporcionar uma boa impressão ou prevenir-nos de viver um momento de silêncio constrangedor.

anedota
Anedotas portuguesas: Teste à honestidade

As anedotas visam causar ruído, provocar uma sonora e incontrolável gargalhada. Por vezes, só se alcança uma série de sorrisos. Tal é sinal que ou a piada não era assim tão boa ou o nosso trabalho a dar corpo à anedota não foi realizado da melhor forma.

Existem diferentes tipos de piada que exploram diferentes temáticas e dimensões: o humor negro (comum nas piadas britânicas), trocadilhos e jogos de palavras, as picantes (envolvendo um contexto de erotismo, sensualidade ou sexualidade), as preconceituosas (hiperbolizando vícios ou características associados a determinados povos, por exemplo), as piadas secas. Enfim é um ramo tão vasto quanto a criatividade humana.

Portugal tem uma série de humoristas que construíram uma carreira sólida à custa do seu sentido de humor e da sua capacidade para contar piadas e anedotas.

Fernando Rocha, Ricardo Araújo Pereira, Bruno Nogueira e Herman José (o “pai” da comédia em Portugal) estão entre alguns dos grandes nomes nacionais contemporâneos.

Teste à honestidade
Anedotas portuguesas: Teste à honestidade

Definição de anedota

Termo que vem do grego anékdotos, “inédito”, e do francês anecdote, significando já anedota. Narração breve e geralmente jocosa de um facto histórico ou imaginário. No sentido figurado, uma anedota pode ser uma pessoa que provoca o riso.

Piada, além do pio das aves, refere-se a algo que é engraçado; chalaça, graça. Um dito supostamente cómico em que está implícita uma censura a alguém ou a algo.

No sentido figurado, remete para pessoa ou coisa considerada ridícula ou pouco eficiente. Existem ainda as piadas de mau gosto que são histórias grosseiras ou inconvenientes.

Anedotas portuguesas: Teste à honestidade

Uma empresa contratou um funcionário para uma posição de grande responsabilidade. Teria que lidar com muitos clientes importantes, portanto a sua lealdade e a sua honestidade eram fundamentais.

De forma a testar a honestidade do seu funcionário, a empresa ordenou ao departamento financeiro que pagasse, de forma propositada, 500€ a mais no seu salário. Um mês passou e o funcionário nada disse, para desilusão dos responsáveis máximos da empresa.

Sendo assim, no fim do mês seguinte, a empresa deu mais uma oportunidade do funcionário se revelar honesto e leal. Por isso, foi dada instrução ao departamento financeiro para fazer exatamente o mesmo. Foi realizado o pagamento do salário do funcionário com 500€ a mais. O resultado foi idêntico.

A empresa já estava de “pé atrás” com o funcionário. Foi uma contratação cara para uma posição de enorme importância e não se podia dar ao luxo de ter nessa posição uma pessoa que não demonstrava ser leal ou honesta. Contudo, a empresa decidiu dar uma última oportunidade ao seu novo funcionário. Mas, desta vez, inverteu a estratégia. Desta vez, mandou retirar 500€ ao salário do funcionário.

Nesse mesmo dia, o funcionário ligou furioso para o departamento da empresa que era responsável pelos pagamentos e disse:

– Vocês são uma cambada de incompetentes! Enganaram-se e tiraram do meu salário 500€!

– O senhor tem razão! Vamos já corrigir o problema. Mas é curioso, porque no mês passado e no mês anterior também nos enganámos e, além do seu salário, pagámos 500€ a mais e nessa altura o senhor não disse nada…

Ao que declara o funcionário:

– Pois, é verdade. Errar é humano. Um erro pode acontecer. Dois erros é grave, mas ainda se tolera. Agora, 3 erros?! Parece impossível! Isso é abuso e incompetência a mais e eu não compactuo com isso! Estou farto!

Márcio Magalhães
Um Mestrado em Ensino não fazia prever o percurso consolidado e bem sucedido no marketing digital e na produção de conteúdos, com publicação regular de artigos em diversas plataformas. (exclusivamente responsável pelo conteúdo textual)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.