Início Tradições A história e receita do Bolo-Rei tradicional

A história e receita do Bolo-Rei tradicional

O Bolo-Rei é um doce que, habitualmente, se come entre o Natal e o Dia de Reis. Fique a conhecê-lo melhor e aprenda a receita do Bolo-Rei tradicional.

receita do Bolo-Rei tradicional
A história e receita do Bolo-Rei tradicional

O Bolo-Rei é um doce que, habitualmente, se come entre o Natal e o Dia de Reis. Fique a conhecê-lo melhor e aprenda a receita do Bolo-Rei tradicional.

Quem nunca reparou num bolo redondo, com um grande buraco no centro, feito de uma massa de bolo branca e fofa, rica em passas, frutos secos e frutas cristalizadas?

Especialmente entre o final do ano e o início do novo ano, é impossível não se cruzar com fatias desde doce, quer em confeitarias, quer em supermercados.

Apesar das suas diversas variantes, o bolo-rei tradicional continuar a ter fiéis adeptos e é especialmente para esses que fazemos este artigo sobre a sua história e receita. Ainda é do tempo em que no interior deste bolo havia uma fava e um brinde?

Fique a conhecer esta e outras curiosidades sobre o bolo mais emblemático do Natal português.

doces de natal
A história e receita do Bolo-Rei tradicional

Como fazer bolo-rei. História e receita tradicional

A origem do bolo-rei é bastante antiga. Ao que consta, remonta ao tempo dos romanos. Terá sido, no entanto, a Igreja Católica a associar este doce às datas de 25 de dezembro e de 6 de janeiro.

Todavia, se pensarmos no bolo-rei, como o conhecemos atualmente, podemos afirmar que a sua origem remonta à corte de Luís XIV, em França, e aos seus festejos de Ano Novo e do Dia de Reis. É, inclusive, possível encontrar pinturas em que aparece representado o popular Gâteau des Rois.

Por altura da Revolução Francesa, o bolo-rei foi proibido. Mas os pasteleiros não acataram essa norma e decidiram mudar o nome ao bolo, passando a designá-lo como Gâteau des Sans-culottes.

doces de natal
A história e receita do Bolo-Rei tradicional

A receita portuguesa terá sido importada do sul de Loire. Crê-se que o primeiro estabelecimento português a vender esta iguaria foi a Confeitaria Nacional, em Lisboa, (c. de 1870). O seu autor terá sido o pasteleiro Gregório, o qual se terá inspirado numa receita que Baltazar Castanheiro Júnior trouxe de Paris. A partir desse momento, a receita e a moda deste bolo foram-se espalhando um pouco por todas as confeitarias da cidade.

Já no Porto, o bolo-rei chegou mais tarde, em 1890, por iniciativa da Confeitaria Cascais, tendo por base a receita que Francisco Júlio Cascais trouxe de Paris.

receita do Bolo-Rei tradicional
A história e receita do Bolo-Rei tradicional

Por altura da implantação da República, a 05 de outubro de 1910, o nome deste doce tornou-se, novamente, um problema. Por essa razão, durante esse período, este mesmo bolo foi na mesma confecionado e vendido, mas sob outras designações, tais como: “ex-bolo-rei”, “bolo de Natal”, “bolo de Ano Novo”, “bolo-presidente” ou “bolo-Arriaga”.

Simbologia

Há quem veja no bolo-rei um símbolo dos presentes ofertados pelos três Reis Magos ao Menino Jesus, aquando do seu nascimento. Assim a côdea simboliza o ouro; as frutas cristalizadas e secas representam a mirra; enquanto o aroma do bolo simboliza o incenso.

Receitas de bolo-rei

receita do Bolo-Rei tradicional
A história e receita do Bolo-Rei tradicional

Bolo-rei tradicional

Ingredientes

– 4 Ovos

– 1 Limão

– 1 Laranja

– 750g farinha de trigo sem fermento

– 150g açúcar branco

– 150g frutas cristalizadas

– 150g frutos secos pinhões, nozes, passas, avelãs e amêndoas

– 150g margarina vegetal ou manteiga

– 30g fermento de padeiro

– 1dl vinho do Porto

– 1 c. de sobremesa rasa, com sal

Modo de Preparação

– Pique as frutas cristalizadas e ponha-as a macerar com o vinho do Porto, juntamente com as frutas secas.

– Dissolva o fermento em 1 dl de água tépida e junte a uma chávena de farinha.

– Misture e deixe levedar por 15 minutos.

– Bata a gordura escolhida com o açúcar e a raspa das cascas do limão e da laranja.

– Adicione os ovos, um a um, batendo entre cada adição. Junte a massa de fermento.

– Quando estiver bem ligado, acrescente a restante farinha peneirada com o sal.

– Amasse muito bem até a massa ficar macia e elástica.

– Misture as frutas maceradas no vinho do Porto. Volte a amassar e molde em bola.

– Polvilhe com farinha e tape com um pano. Deixe levedar por 5 horas.

– Quando a massa estiver bem levedada e tiver dobrado de volume, mexa e molde novamente em bola, distribuindo sobre um tabuleiro untado.

– Faça um buraco no meio da massa e, se desejar, introduza a fava e o brinde. Deixe levedar por mais 1 hora.

– Pincele com a gema e enfeite com frutas cristalizadas inteiras, torrões de açúcar, pinhões inteiros, meias nozes, etc.

– Leve a cozer em forno bem quente.

– Depois de cozido, pincele com geleia diluída em água quente.

receita do Bolo-Rei tradicional
A história e receita do Bolo-Rei tradicional

Bolo-rei escangalhado

Ingredientes

– 5 Ovos

– 1 Cálice de rum

– 625g de farinha + q.b. (p/ polvilhar)

– 300g de frutos secos variados (+ q.b. p/ decorar)

– 180g de açúcar

– 150g de doce de chila

– 100g de manteiga (+ q.b. p/ untar a forma)

– 100g de passas

– 25g de fermento biológico

– 1 Pitada de sal

– Leite q.b.

– Cerejas em calda p/ decorar (opcional)

Modo de preparação

– Prepare as passas, colocando-as a macerar no rum.

– Num pouco de leite morno, dissolva o fermento.

– Junte 125g de farinha, amasse e deixe levedar em local ameno. Espere até atingir o dobro do tamanho.

– Bata 4 ovos com a manteiga. Junte o açúcar e um pouco de sal.

– Acrescente à massa já levedada o preparado. Posteriormente, amasse.

– Aos poucos, vá juntando a restante farinha e amasse.

Opcional: Se achar necessário, pode acrescentar um pouco de leite para tornar a massa mais macia.

– Junte à massa os frutos secos picados e as passas com o rum.

– Acrescente as 70g de chila.

– Deixe a massa levedar (o ideal é que atinja o dobro do volume).

– Coloque o forno numa temperatura de 180º C.

– Unte um tabuleiro e polvilhe com farinha.

– Ao estar a massa lêveda, faça com ela um retângulo (escangalhado).

– Bata um ovo numa taça.

– Pincele com o ovo batido a massa e deixe levedar novamente.

– Faça a decoração, recorrendo a frutos secos, à restante chila e às cerejas em calda.

– Leve ao forno aquecido a 180ºC.

– Deixe que coza por 50 minutos, sensivelmente.

Teresa Santos
Com formação em Humanidades, tem na investigação e na escrita a sua principal atividade. (exclusivamente responsável pelo conteúdo textual).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.