Início Histórias Poucos sabem do Fantasma da Estação de São Bento, no Porto

Poucos sabem do Fantasma da Estação de São Bento, no Porto

Um fantasma doce e recatado que ainda percorre os corredores da estação, mas pouca gente sabe desta lenda do fantasma da estação de São Bento, no Porto.

Poucos sabem do Fantasma da Estação de São Bento, no Porto - ©Meu Moleskine
Poucos sabem do Fantasma da Estação de São Bento, no Porto - ©Meu Moleskine

Um fantasma doce e recatado que ainda percorre os corredores da estação, mas pouca gente sabe desta lenda do fantasma da estação de São Bento, no Porto.

Porto: o Fantasma da Estação de São Bento
Convento de São Bento da Avé Maria – ©monumentos desaparecidos – O Fantasma da Estação de São Bento

Estação Ferroviária de São Bento, no Porto, deve a sua designação ao facto de ter sido construída no exato local onde antes estava o Convento de São Bento da Avé Maria.

O convento, devoluto desde que as ordens religiosas foram extintas em 1892, foi totalmente demolido para dar lugar à nova estrutura de apoio à Linha do Douro cuja chegada à cidade Porto exigia uma estação.

Construção da Estação Ferroviária de São Bento

Em 1888, com a aprovação da Câmara Municipal, a Direção dos Caminhos de Ferro dá início ao projeto de prolongamento da linha desde Campanhã até às imediações da Praça da Liberdade.

Porto: o Fantasma da Estação de São Bento
Construção do túnel D. Carlos I – O Fantasma da Estação de São Bento

Para tal são abertos vários túneis no percurso e em 7 de Novembro de 1896 chega ao local, ainda sem estação, o primeiro comboio, um ato que acabaria por marcar a inauguração oficial da linha.

Porto: o Fantasma da Estação de São Bento
Estação de São Bento, chegada do primeiro comboio – O Fantasma da Estação de São Bento

No entanto, foi apenas em Outubro de 1900 que se deu início à construção da Estação Ferroviária de São Bento tal qual como o conhecemos agora.

Porto: o Fantasma da Estação de São Bento
Construção da Estação de São Bento – ©Geopalavras – O Fantasma da Estação de São Bento

Foram os reis D. Carlos e D. Amélia que presidiram à cerimónia de assentamento da primeira pedra da obra que só viria a estar concluída e inaugurada com pompa e circunstância em 1916.

O edifício, em forma de U, é da autoria do arquiteto Marques da Silva e conta com um átrio revestido por mais de vinte mil azulejos historiados do pintor Jorge Colaço.

Porto: o Fantasma da Estação de São Bento
Estação de São Bento – ©Innapartments Aveiro and Porto – O Fantasma da Estação de São Bento

Com o objetivo de amenizar o efeito nobre mas severo do granito, o autor do projeto decidiu recorrer à tradição do azulejo português para decorar as amplas zonas de circulação da estação.

De todas as propostas apresentadas, foi a do pintor, ceramista e caricaturista Jorge Colaço que mereceu preferência.

Porto: o Fantasma da Estação de São Bento
O Fantasma da Estação de São Bento

Os painéis de azulejos, que ocupam uma área superior a 550 metros quadrados, foram produzidos pela Fábrica Cerâmica Lusitana e representam vários episódios da História de Portugal, entre os quais o “Torneio de Arcos de Valdevez” e o “Infante D. Henrique na Conquista de Ceuta”, bem como vários momentos alusivos à história dos transportes.

Porto: o Fantasma da Estação de São Bento
O Fantasma da Estação de São Bento

No seu interior, a Estação de São Bento conta com uma gare com 8 linhas terminais e cinco cais para mercadorias, tudo acomodado sob a proteção de uma imponente e lindíssima estrutura metálica com características artísticas.

Porto: o Fantasma da Estação de São Bento
O Fantasma da Estação de São Bento

O edifício da estação, um dos mais emblemáticos exemplos que marcou o movimento artístico nacional do início do século XX, conta com três fachadas. Duas laterais, uma que dá para a rua da Madeira e outra para a Rua do Loureiro, e a principal, virada para a Praça Almeida Garret.

Estação Ferroviária de São Bento na Atualidade

Atualmente a Estação Ferroviária de São Bento é a estação ferroviária mais movimentada do Porto, sendo mesmo considerada a sala de visitas da cidade.

Porto: o Fantasma da Estação de São Bento
O Fantasma da Estação de São Bento

Daí garantem-se ligações para o centro do Porto, bem como para as linhas do Norte, do Douro e do Minho, e para os ramais de Braga e Guimarães.

Porto: o Fantasma da Estação de São Bento
O Fantasma da Estação de São Bento – ©Like3ZA

Modernizada ao longo dos tempos, a Estação Ferroviária de São Bento pode acolher todo o tipo de material circulante da CP, nomeadamente comboios Pendulares, Rápidos Alfa, Inter-Cidades, Regionais e Suburbanos que asseguram as ligações às principais cidades do país.

Desde 2006 a Estação Ferroviária de São Bento conta também com uma estação do Metro do Porto da Linha D ou Linha Amarela, que faz a ligação entre o Porto e Vila Nova de Gaia.

O Fantasma da Estação de São Bento

Porto: o Fantasma da Estação de São Bento
O Fantasma da Estação de São Bento – ©Nuno Cruz

Pouca gente sabe a lenda do fantasma que ocupa a estação de São Bento, no Porto. Um fantasma doce e recatado, teimoso em vida e que, segundo a lenda, ainda percorre os corredores da estação de São Bento. Vamos recuar um pouco no tempo…

Porto: o Fantasma da Estação de São Bento
O Fantasma da Estação de São Bento – ©Portoalities

Até aos finais do século XIX existiu, precisamente no local da estação, o extinto convento Beneditino das Freiras de São Bento da Avé Maria.

No ano de 1821, contava este convento, para além de 55 religiosas, com 105 membros de apoio (maioritariamente criadas).

Porto: o Fantasma da Estação de São Bento
Convento de São Bento da Avé Maria – O Fantasma da Estação de São Bento

Em 1834 sai o decreto de extinção das ordens religiosas em Portugal, façanha de Joaquim de António de Aguiar, mais conhecido por “mata frades”.

Esse famoso decreto decretava a extinção imediata das ordens masculinas (e confiscação das suas propriedades), a proibição de que novas freiras professassem os seus votos e a extinção dos conventos por morte da última freira que lá residisse nesse ano.

Porto: o Fantasma da Estação de São Bento
O Fantasma da Estação de São Bento

Foram tempos de grandes dificuldades para as ordens religiosas femininas, encapsuladas num tempo que já não lhes pertencia.

O convento de São Bento de Avé Maria não foi exceção, tendo vendido a maior parte das suas preciosas alfaias de prata em praça pública. O edifício desmoronava-se, que a vontade dos homens assim o ditava; e as abadessas foram morrendo, uma a uma.

Porto: o Fantasma da Estação de São Bento
Chegada do 1º comboio à estação provisória de São Bento, a 7 de Novembro de 1896 – ©portoantigo.org

A última abadessa, no entanto, morreu “apenas” em Maio de 1892 (mais de 58 anos após a extinção das ordens religiosas em Portugal, recordo!), abrindo então caminho para a construção da estação de São Bento.

Porto: o Fantasma da Estação de São Bento
Construção da atual estação de São Bento – ©www.portoarc.blogspot.com

Diz-se que, teimosa mas serenamente, o fantasma da última abadessa do extinto convento ainda hoje percorre os corredores da estação de São Bento, sendo ouvidas as suas rezas nas poucas horas mortas da estação, quando o ruído é menor. Mas apenas para os ouvidos mais atentos… que o Porto só se desvenda às almas pacientes.

Autora: Sara Riobom

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.