Início Cultura Língua Portuguesa: Procrastinar ou Procastinar?

Língua Portuguesa: Procrastinar ou Procastinar?

Descubra o significado, como se escreve, a origem e as causas. Língua Portuguesa: escreve-se Procrastinar ou Procastinar?

Procrastinar ou Procastinar
Língua Portuguesa: Procrastinar ou Procastinar?

Língua Portuguesa: Procrastinar ou Procastinar?

Descubra o significado, como escrever, a origem e as causas. Língua Portuguesa: escreve-se Procrastinar ou Procastinar?

Procrastinação é o adiamento ou diferimento de uma ação. Para a pessoa que está a procrastinar, isso resulta em perda de produtividade, stress, sensação de culpa e vergonha em relação aos outros, por não cumprir com os seus compromissos e as suas responsabilidades.

Embora a procrastinação seja considerada normal, torna-se um problema quando impede o funcionamento normal das ações. A procrastinação crónica pode ser um sinal de problemas fisiológicos ou psicológicos.

Procrastinar ou Procastinar
Língua Portuguesa: Procrastinar ou Procastinar?

A Origem

A palavra em si vem do latim procrastinatuspro- (à frente) e crastinus (de amanhã). A primeira aparição conhecida do termo foi no livro Chronicle (The union of the two noble and illustre famelies of Lancestre and Yorke) de Edward Hall, publicado primeiramente antes de 1548.

Logo, um procrastinador é um indivíduo que evita tarefas ou uma tarefa em particular.

Nos meios de comunicação, é frequente ler e especialmente escutar variantes inadequadas desta palavra, como em “Os melhores conselhos para ser mais produtivo e parar de procastinar” ou “Ele era um péssimo estudante, mais preocupado em procastrinar e divertir-se do que em estudar” .

A complexidade fonética deu origem a diferentes formas, tanto para o verbo como para o substantivo procrastinação, que é muitas vezes visto escrito ou pronunciado como procastinação ou procastrinação.

Assim, nos exemplos anteriores, teria sido apropriado escrever “Os melhores conselhos para ser mais produtivo e parar de procrastinar” e “Ele era um péssimo estudante, mais preocupado em procrastinar e divertir-se do que em estudar” .

Procrastinar ou Procastinar
Língua Portuguesa: Procrastinar ou Procastinar?

Exemplos com procrastinar

  • Pare de procrastinar e diga logo a sua decisão.
  • Ele acaba sempre por encontrar uma forma de procrastinar.
  • Como o meu chefe não veio hoje, resolvi procrastinar o dia inteiro.
Procrastinar ou Procastinar
Língua Portuguesa: Procrastinar ou Procastinar?

Causas da procrastinação

Psicológica

As causas psicológicas da procrastinação variam muito, mas geralmente tendem a fatores como ansiedade, baixa autoestima e uma mentalidade autodestrutiva. Pensa-se que os procrastinadores têm um nível de consciência abaixo do normal, mais baseado em “sonhos e desejos” de perfeição ou realização, em vez de apreciação realista das suas obrigações e potenciais.

O autor David Allen traz à tona duas grandes causas psicológicas de procrastinação no trabalho e no dia a dia que estão relacionadas com a ansiedade, e diretamente ligada à preguiça emocional. A primeira categoria engloba coisas muito pequenas para se preocupar, tarefas que são uma interrupção irritante no fluxo das coisas, e que tem soluções de baixo impacto; um exemplo seria, organizar uma sala desarrumada.

A segunda categoria contém coisas muito grandes para serem controladas, tarefas que uma pessoa pode temer, ou cujas implicações podem ter um impacto grande na vida da pessoa; um exemplo seria, um estudante de adiar indefinidamente a sua preparação para o exame, por causa da pressão recebida dos seus familiares e o medo de não conseguir ser aprovado.

É de salientar que uma pessoa pode inconscientemente sobrestimar ou subestimar o tamanho de uma tarefa, se a procrastinação se tornar um hábito.

Procrastinar ou Procastinar
Língua Portuguesa: Procrastinar ou Procastinar?

Fisiológica

Pesquisas sobre as raízes fisiológicas da procrastinação, na sua grande maioria, focam-se no envolvimento do Córtex pré-frontal. Essa área do cérebro é responsável por funções de execução cerebral como planeamento, controlo de impulsos, atenção, e age como um filtro diminuindo estímulos que causam distração, que vêm de outras regiões do cérebro.

Lesões ou baixa utilização dessa área podem reduzir a capacidade de uma pessoa de filtrar estímulos que causam distração, resultando em má organização, perda de atenção e aumento de procrastinação. Isso é similar ao papel do lobo pré-frontal no Transtorno do Défice de Atenção com Hiperatividade (TDAH), onde é comum a sua subutilização.
_

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.