Início Histórias Entre as bibliotecas mais bonitas do mundo há três portuguesas

Entre as bibliotecas mais bonitas do mundo há três portuguesas

Para os apaixonados por livros, são autênticos santuários de conhecimento e entre as bibliotecas mais bonitas do mundo há três portuguesas

as bibliotecas mais bonitas do mundo
Entre as bibliotecas mais bonitas do mundo há três portuguesas

Para os apaixonados por livros, são autênticos santuários de conhecimento e um local quase sagrado. E entre as bibliotecas mais bonitas do mundo há três portuguesas

Na lista das 20 bibliotecas mais bonitas do mundo, existem 3 bibliotecas nacionais. Podemos até referir que são “3 e ½”, uma vez que no Brasil há uma bela biblioteca com ligação a Portugal, a Biblioteca do Real Gabinete Português. Portanto, é muito expressiva a presença nacional nesta lista de apenas 20 bibliotecas.

Treze destas bibliotecas estão do continente europeu; seis estão no continente americano; enquanto na Ásia está presente apenas uma (o que será certamente escasso, dadas as criações maravilhosas presentes neste continente).

Portugal possui 3 fantásticas bibliotecas e é o país, a par com os EUA, que possui mais bibliotecas nesta lista. Dada a dimensão de ambos os países e a respetiva capacidade de investimento, haver uma igualdade entre ambas as nações é realmente revelador da enorme capacidade nacional.

Esta distinção surge na obra que tem como título “The World’s Most Beautiful Libraries” (As Bibliotecas Mais Bonitas do Mundo). Os textos desta obra com 550 páginas são do diretor de bibliotecas Georg Ruppelt e da académica Elisabeth Sladek. Foi escrito em alemão, italiano e inglês. As fotografias são da responsabilidade de Massimo Listri. Pode encontrar o livro à venda por 150€.

As três bibliotecas portuguesas

Entre as bibliotecas mais bonitas do mundo há três portuguesas

Biblioteca da Cruz Vermelha, Lisboa

Implantada na Sede Nacional da Instituição, mais precisamente no Palácio da Rocha do Conde d`Óbidos, na capital, este edifício foi classificado como imóvel de interesse público no ano de 1993.

A Biblioteca da Cruz Vermelha Portuguesa tem um fantástico acervo documental com 16.000 títulos, aproximadamente. Naturalmente, existe particular incidência em assuntos de cariz humanitário (mais particularmente sobre o Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho e, também, sobre legislação militar e legislação nacional, desde 1849), mas também compreende outras temáticas, outros domínios do saber.

No seu acervo, estão presentes diversas monografias e publicações periódicas nacionais e estrangeiras. Uma das razões que levou esta biblioteca a integrar esta cobiçada lista é, seguramente, o seu painel central, pintado por Gabriel Constante, em 1938, com a reprodução da Paz de Alvalade, onde figuram o Rei D. Dinis, o seu filho D. Afonso e a Rainha Santa Isabel. O teto apainelado com pinturas ornamentais alegóricas às sete Artes Liberais também dão o seu contributo.

as bibliotecas mais bonitas do mundo
Entre as bibliotecas mais bonitas do mundo há três portuguesas

Biblioteca da Universidade de Coimbra

Esta belíssima biblioteca joanina (foi o monarca D. João V, o Magnânimo, que a mandou erigir em 1717) está localizada numa das universidades mais antigas do mundo e que ainda se encontra em atividade.

Foi a primeira biblioteca portuguesa a ser fundada, no longínquo ano de 1290. O seu valor incalculável deve-se à sua história, beleza, património arquitetónico e decorativo e também acervo rico e vasto. Entre as obras mais valiosas, há uma Bíblia Hebraica (séc. XV), de que só existem 20 exemplares no mundo e a Bíblia Latina das 48 linhas impressa por dois sócios de Gutenberg, no ano de 1462.

Recorre a morcegos, durante a noite, para proteger o património literário. Outra curiosidade é que nesta biblioteca funcionou uma prisão académica que pode ser visitada no piso inferior do edifício.

as bibliotecas mais bonitas do mundo
Entre as bibliotecas mais bonitas do mundo há três portuguesas

Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra

Situada no Palácio Nacional de Mafra está outra das belas bibliotecas portuguesas. A Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra possui 36.000 volumes, um acervo que se revela um autêntico tesouro. Entre as obras mais raras estão diversas Bíblias, a célebre “Crónica de Nuremberga” (1493), a coleção de incunábulos (obras impressas até 1500), os Livros de Horas iluminados do século XV e, entre muitas outras, a primeira Enciclopédia (conhecida como de Diderot et D’Alembert).

Existem várias razões que justificam a nomeação desta biblioteca como o maior tesouro de Mafra. Para além do acervo, ela tem dimensão decorativa e arquitetónica. As estantes em estilo rococó, a abóbada onde se vê esculpido um rosto humano que representa o sol, o belo chão em mármore (rosa, cinzento e branco) são apenas algumas das razões que tornam esta biblioteca num espaço verdadeiramente encantador.

Menção especial

as bibliotecas mais bonitas do mundo
Entre as bibliotecas mais bonitas do mundo há três portuguesas

Biblioteca do Real Gabinete Português, Brasil

Esta é uma biblioteca e instituição cultural lusófona. Fora de Portugal, é aqui que se encontra a maior e a mais valiosa biblioteca de obras de autores portugueses. O acervo da Biblioteca do Real Gabinete Português é da ordem dos 350.000 volumes e está inteiramente informatizado.

O Real Gabinete é a única instituição estrangeira que tem o privilégio de gozar do estatuto de “depósito legal” que lhe permite receber um exemplar das obras publicadas no país.

Confira, agora, a lista completa das bibliotecas mais bonitas do mundo

Europa

– Biblioteca de Stuttgart, Alemanha.

– Biblioteca do Mosteiro de Wiblingen, Alemanha.

– Biblioteca da Abadia de Admont, Áustria.

– Biblioteca do Mosteiro de Melk, Áustria.

– Biblioteca Real de El Escorial, Espanha.

– Biblioteca Vallicelliana, Itália.

– Biblioteca do Trinity College, Irlanda.

– Biblioteca da Cruz Vermelha, Portugal.

– Biblioteca da Universidade de Coimbra, Portugal.

– Biblioteca do Palácio Nacional de Mafra, Portugal.

– Biblioteca do Mosteiro de Strahov, República Checa.

– Biblioteca de Estocolmo, Suécia.

– Biblioteca da Abadia de St. Gallen, Suíça.

América

– Biblioteca do Parlamento Canadiano, Canadá.

– Biblioteca do Congresso de Washington, EUA.

– Biblioteca George Peabody, EUA.

– Biblioteca Pública de Nova York, EUA.

– Biblioteca El Ateneo, Argentina.

– Biblioteca do Real Gabinete Português, Brasil.

Ásia

– Biblioteca Nacional da China, China.

Curiosidade

Optamos por colocar esta lista por continentes, por isso a enumeração aqui presente não obedece a uma hierarquia presente no livro. De destacar também a Biblioteca Vallicelliana, Itália, presente na lista. Ela é a biblioteca do Vaticano, que conta, atualmente, com a direção do arcebispo português, José Tolentino de Mendonça. Sob sua responsabilidade estão mais de 1,8 milhões de manuscritos e livros raros.

Márcio Magalhães
Um Mestrado em Ensino não fazia prever o percurso consolidado e bem sucedido no marketing digital e na produção de conteúdos, com publicação regular de artigos em diversas plataformas. (exclusivamente responsável pelo conteúdo textual)

2 COMENTÁRIOS

  1. É uma maravilha cada uma destas bibliotecas que encerram tanta arte e sabedoria. Contudo, devido às directivas que o mundo está a levar, cada vez os livros são menos utilizados, logo serão apenas objectos decorativos. Sentir um livro na mão, desfolhá-lo, é um prazer que a enorme maioria dos homens e mulheres já não sentem. É o mundo moderno, com valores e utilidades diferentes e diversas, onde os valores como respeito, honra, palavra, amor, etc., são correntes sociais que já não circulam. Agora, de alto a baixo, é a esperteza saloia e respeitável que impera. Há-de aparecer, de sibstituição, um maravilhoso mundo novo.

  2. Tive o prazer de conhecer a da NC State University de Raleigh (Carolina do Norte). Fiquei muito impressionado… Quem passar por perto, vale a pena conhecer.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.