Início Cultura Três falsos amigos galegos (para maiores de 18)

Três falsos amigos galegos (para maiores de 18)

O galego e o português estão muito próximos mas a proximidade tem as suas armadilhas. Existem palavras que parecem iguais, mas querem dizer coisas muito diferentes. Conheça três falsos amigos galegos.

7263
Três falsos amigos galegos
Três falsos amigos galegos

Três falsos amigos galegos (para maiores de 18)

O galego e o português estão muito próximos mas a proximidade tem as suas armadilhas. Existem palavras que parecem iguais, mas querem dizer coisas muito diferentes. Conheça três falsos amigos galegos.

Marco Neves
Marco Neves

Como já tantas vezes discutimos por estas paragens, o galego e o português estão muito, mas muito próximos — ora, a proximidade tem as suas armadilhas.

Existem, de facto, algumas palavras que parecem iguais, mas querem dizer coisas muito diferentes… Pois, hoje, dou três exemplos de falsos amigos galego-portugueses.

Começo no «labrego», avanço pelo «grelo» e acabo nos perigos que se escondem na palavra «bico»…

«Labrego»

Três falsos amigos galegos
Três falsos amigos galegos – ©Ruth Matilda Anderson

O primeiro falso amigo é muito inocente. Longe de ser para maiores de 18, é para todas as idades. A verdade é que é difícil encontrar portugueses que não se riam quando descobrem que, na Galiza, existe um Sindicato Labrego Galego.

Sim, um labrego, na Galiza, é apenas e só um lavrador. Já um labrego, em Portugal, até pode ser um lavrador — mas também há labregos fechados em escritórios ou vestidos de fato inteiro. Não consta que, por cá, se tenham organizado num sindicato.

«Grelo»

Três falsos amigos galegos
Três falsos amigos galegos

A história ficou famosa, pelo menos entre quem liga a estas coisas. O município galego de As Pontes promove anualmente um festival do grelo. Nada contra: comer verduras faz bem e um festival deste tipo só pode ser coisa boa.

O festival é coisa em grande, pois até tem um website — compreende-se que o município tenha decidido traduzir o tal website para espanhol a partir do original galego.

Abrande agora o leitor, como fazem tantos condutores ao passar por um acidente. Pois aquilo que aconteceu foi um autêntico acidente de tradução. Com feridos graves!

O nome do festival — ou da feira — era bastante claro em galego: «Feira do grelo».

Já a tradução para espanhol ficou, no website, com este lindo aspecto: «Feria clítoris». Não contente, o texto continuava: «El clítoris es uno de los productos típicos de la cocina gallega.» — o que, imagino, deve surpreender bastante os peregrinos que chegam a Santiago…

O que se passou?

 

Três falsos amigos galegos
Três falsos amigos galegos

Bem, o município decidiu poupar na tradução (ah, não façam isso!) e foi ao nosso amigo Google Translate. Ora, a Google usava o português para alimentar o motor de tradução de galego para espanhol. Resultado?

Três falsos amigos galegos
Três falsos amigos galegos

O inocente grelo galego deu uma guinada, transformou-se na palavra portuguesa e foi embater num muro a grande velocidade, deixando os responsáveis do município com as faces bem ruborizadas de vergonha.

Note-se, já agora, que o Google faz isto porque o galego e o português, enfim, estão muito próximos. Ora, lá está: a proximidade, por vezes, também nos prega umas rasteiras.

Algumas notícias sobre o caso saíram em jornais como La Voz de GaliciaJN ou The Guardian.

(Quem pela primeira vez me falou dessa particularidade do Google Translate no que toca ao galego foi o meu amigo José Ramom Pichel — convido o leitor, já agora, a conhecer o seu blogue, onde escreve sobre o galego e os seus labirintos: Quatro Estômagos.)

(cont.)

2 COMENTÁRIOS

  1. O problema é que o tradutor Google utiliza o português brasileiro e não o português PT. Aliás o acordo ortográfico também. .

  2. Fico desiludido perante um artigo tão irrelevante e carente de rigor. Um tradutor de espanhol é o seu recurso de autoridade !

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.