Início Histórias Santuário da Senhora da Peneda, beleza sagrada

Santuário da Senhora da Peneda, beleza sagrada

Um dos mais belos santuários de Portugal situa-se no concelho de Arcos de Valdevez, no magnífico Parque Nacional da Peneda-Gerês. É o da Senhora da Peneda.

Santuário da Senhora da Peneda
Santuário da Senhora da Peneda, beleza sagrada

Um dos mais belos santuários de Portugal situa-se no concelho de Arcos de Valdevez, no magnífico PN da Peneda-Gerês. É o Santuário da Senhora da Peneda.

É um dos locais que me é particularmente querido, não só por fazer parte do meu Alto Minho, mas também por o considerar lugar sagrado de peregrinação onde vou com regularidade quando em férias estou por aqueles lados.

O Santuário

Santuário da Senhora da Peneda, beleza sagrada
Santuário da Senhora da Peneda, beleza sagrada

O Santuário de Nossa Senhora da Peneda, em Arcos de Valdevez, na freguesia de Gavieira, a caminho da vila de Melgaço, tem como data provável de início da sua construção, finais do século XVIII, a julgar pela data inscrita na coluna existente ao cimo da escadaria de acesso.

Acredita-se que neste local tenha existido uma pequena ermida construída para lembrar a aparição da Senhora da Peneda, cujo culto foi crescendo e motivou a construção do santuário.

Este lugar de culto é constituído pelo designado escadório das virtudes, com estatuária que representa a Fé, Esperança, Caridade e Glória. Datada de 1854, a igreja principal, terminada em 1875, o grande terreiro, o terreiro dos evangelistas e a escadaria com cerca de 300 metros e 20 capelas, com cenas da vida de Cristo.

Santuário da Senhora da Peneda, beleza sagrada
Santuário da Senhora da Peneda, beleza sagrada

É um dos maiores Santuários Marianos de Portugal, situado numa vertente da granítica Serra da Peneda.

A sua origem é igual a quase todas as origens dos imensos locais de devoção que existem por todo o mundo: apareceu uma senhora mágica a uma pastorinha que lhe pediu para rezarem muito e para lhe erigirem uma capelinha e a partir dali, como diz o poeta, “Deus quer, o Homem sonha, a Obra nasce…”.

Santuário da Senhora da Peneda, beleza sagrada
Santuário da Senhora da Peneda, beleza sagrada

Na Peneda realiza-se todos os anos, entre os dias 1 e 8 de Setembro, uma festa em honra da Senhora do mesmo nome. Nesses dias, a pequena e pacata povoação transforma-se num centro de peregrinação de todo o Alto Minho e também da vizinha Galiza. Uns por devoção, outros para diversão, outros ainda para fins comerciais.

No “meu tempo”, a festa da Senhora da Peneda era o culminar de um verão recheado de festejos religiosos, ponto de encontro de gente das diversas aldeias, roupa lavada, raparigas bonitas e alegres, bailaricos e aventuras amorosas…

Santuário da Senhora da Peneda, beleza sagrada
Santuário da Senhora da Peneda, beleza sagrada

E na Peneda havia disso tudo em abundância. Ali a noite era de folia. Os grupos de rapazes e raparigas com bombos, pandeiretas e castanholas atrás do tocador de concertina deslocavam-se incessantemente pelo terreiro. Onde houvesse espaço formava a roda e… era um espetáculo. Dezenas de pares formavam um círculo em torno do tocador de concertina, alguém assumia o comando e dançava-se a “chula” até cansar.

Santuário da Senhora da Peneda, beleza sagrada
Santuário da Senhora da Peneda, beleza sagrada

Era impressionante o sincronismo do imenso grupo que se formava espontaneamente. E a nuvem de pó que envolvia toda a gente, na roda ou fora dela a observar. Nas tascas improvisadas a música era outra.

Também ali se ouvia o estridente som das concertinas mas era para acompanhar os cantadores ao desafio que improvisavam cantigas e bebiam vinho de zurrapa até não poderem mais…

O acesso era quase exclusivamente a pé. Saíamos de casa de madrugada, ainda noite, com o farnel que nos sustentaria pelo menos durante dois dias, pela serra fora, em grupo, que uma pessoa sozinha não se aventurava por aqueles montes de qualquer maneira.

Mas a parte mais importante da viagem era a gloriosa visão do santuário quando chegávamos às curvas da Meadinha. Pelo trilho de pedras abaixo viam-se os pagadores de promessas, quase sempre mulheres, arrastando-se de joelhos, uma forma de agradecerem as graças recebidas, muitas vezes acompanhados de filhos pequenos que eram invariavelmente as causas do desespero e do recurso à intercessão da Senhora.

Agora os procedimentos são diferentes. Vai-se de automóvel e pagam-se as promessas em numerário. É melhor para todos.

Lenda da Peneda

A Senhora da Peneda terá aparecido a cinco de Agosto de 1220, a uma criança que guardava algumas cabras, a Senhora apareceu-lhe sob a forma de uma pomba branca e disse-lhe para pedir aos habitantes da Gavieira, para edificarem naquele lugar uma ermida. A pastorinha contou aos seus pais, mas estes não deram crédito à história.

Santuário da Senhora da Peneda, beleza sagrada
Imagem da Senhora da Peneda – Santuário da Senhora da Peneda, beleza sagrada

No dia seguinte quando guardava as cabras no mesmo local, a Senhora voltou a aparecer, mas sob a forma da imagem que hoje existe, e mandou a criança ir ao lugar de Rouças, pedir para trazerem uma mulher entrevada há dezoito anos, de nome, Domingas Gregório, que ao chegar perto da imagem recuperou a saúde.

Romaria da Senhora da Peneda

A Peneda era uma das “Brandas” que o povo do Soajo tinha pela serra. Por sua vez, o tombo de Castro Laboreiro em 1565 e ao falar da Peneda, menciona os nomes ermitão e rio do ermitão. Foi neste sítio que apareceu a milagrosa imagem da Senhora da Peneda ou das Neves. Duas versões típicas do “fantástico” do Alto Minho coabitam na tradição castreja.

1ª versão:

Em 5 de Agosto de 1520, a uma pastorinha da Gavieira quando andava com suas “rezes”, apareceu a Senhora. E seu “recado” foi:

– Vai à Gavieira e diz a teus pais que muito desejo me ergam aqui uma ermida!

– Estás tonta, rapariga (?) responderam os pais!

– Voltou a pastorinha à “branda” e engongada lá deu a resposta à Senhora!

– Não desanimes! Vais agora a Rouças e traz-me aqui a Domingas Gregório!

– Como? – disse o Maioral – se ela está entrevadinha há mais de

– Mas foi – repetiu a pastorinha – foi esse o “recado” da Senhora; “traz-me a Domingas Gregório para que nela cobre perfeita saúde”.

Assim fez Juiz e Zelador. E diz o povo que Domingas, ao ver a Senhora, ficou livre e sã de todos os achaques que padecia!

2ª versão:

Muito semelhante à do “Santojinha” da Serra d’Arga (o Santo feito à pressa), diz-nos que a imagem de Nossa Senhora da Peneda teria sido encontrada por um criminoso natural de Ponte de Lima.

Arrependido, permitiu-lhe a Senhora o Dom de a Ter descoberto e de a manter consigo depois de tantos anos estar oculta. É de cor morena e o corpo, menos de palmo, com o Menino Jesus no braço. De pedra, foi mais tarde substituída por outra de madeira e que, atualmente, se venera. A imagem de granito, dizem, foi roubada entre 1927 e 1936!

(cont.)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.