Início Histórias Castelinho: Quem tem medo dos fantasmas do Estoril?

Castelinho: Quem tem medo dos fantasmas do Estoril?

Diz-se que há fantasmas em várias casas ao longo da linha de Cascais. E no Castelinho, as paredes contam muito mais do que histórias de terror...

_

Diz-nos a Câmara Municipal de Cascais que o projeto não caiu bem junto dos serviços e por isso houve um projeto de alterações, “mas que praticamente não alterou a fisionomia do conjunto”. Esse projeto vinha com uma assinatura então desconhecida, mas que mais tarde seria valiosa: Jorge Segurado.

A cozinha, remodelada há uns anos

Filho de engenheiro e irmão e pai de arquitetos, Jorge Segurado foi uma das mais importantes figuras do modernismo português, a par de Cassiano Branco, Cristino da Silva, Pardal Monteiro e Carlos Ramos.

Escreve o arquiteto José Manuel Fernandes que Segurado “esteve ligado, desde cedo, à atividade cultural da sua geração, inovadora e de rutura”, mas nem sempre foi assim.

Um jardim de inverno

Em 1927, estava no início da carreira e provavelmente devido à admiração por Raul Lino — autor de muita literatura sobre as casas tradicionais portuguesas e da famosa Casa dos Patudos, em Alpiarça — pouco terá mexido nos desenhos do Castelinho.

Uma das salas da casa

O nome de Jorge Segurado ficou ligado ao primeiro projeto do Estádio Nacional (nunca concretizado), a vários pavilhões de Portugal em exposições internacionais, aos projetos do Liceu Filipa de Lencastre, da Casa da Moeda e do Colégio de Santa Doroteia, em Lisboa, e a vários projetos na Covilhã, Viseu, Vendas Novas, Caldas da Rainha e outros locais do país.

Outra divisão. Terá sido aquela janela que vimos aberta?

A casa Cebola

Se há fantasmas no Castelinho, fica à consideração de cada um. Inegável é o facto de o primeiro dono da casa ser uma figura quase fantasmagórica na História de Portugal. Já ouviu falar de Luís Cebola? Foi ele que mandou construir esta moradia que beija o mar. Mas mais do que isso: republicano convicto, foi um importante psiquiatra que conviveu grande parte da vida com padres.

(cont.)

1 COMENTÁRIO

  1. No Verão passado, estacionei aí e vi que o restaurante Choupana Gordinni tinha fechado e que diversos gatos famélicos deambulavam perto da entrada… Que também andassem pelo Castelinho, que fica ao fundo do mesmo caminho, seria de todo natural.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.