Início Histórias 5 de Outubro: A Implantação da República Portuguesa

5 de Outubro: A Implantação da República Portuguesa

A história da implantação da República. Um novo partido, que surge no séc XIX, aproveita o descontentamento e, através de uma revolta, instaura a República.

5 de Outubro: A Implantação da República Portuguesa
5 de Outubro: A Implantação da República Portuguesa

5 de Outubro: A Implantação da República Portuguesa

Um novo partido, que surge ainda no século XIX, vai aproveitar o descontentamento dos diferentes grupos sociais e, através de uma revolta, instaurar a República em 1910. Os Portugueses passaram a ser governados de outra forma.

Razões da Queda da Monarquia

1 – A maior parte da população vivia mal

2 – Atraso do desenvolvimento agrícola e industrial

3 – Humilhação sentida pela cedência ao Ultimato

4 – O País tinha grandes dívidas

5 – Promessas do Partido Republicano

6 – Grande agitação e falta de liberdade

O Mapa Cor-de-rosa

A Conferência de Berlim decidiu que os territórios africanos pertenceriam aos países que os ocupassem efetivamente.

Portugal exigia o seu direito em ocupar os territórios compreendidos entre Angola e Moçambique – mapa cor-de-rosa.

O Ultimato Inglês

Em 11 de Janeiro de 1890, a Inglaterra enviou ao rei D. Carlos um Ultimato: ou os Portugueses desocupavam os territórios situados entre Angola e Moçambique ou o governo inglês declarava guerra a Portugal.

O Governo viu-se obrigado a aceitar o Ultimato, o que provocou manifestações de descontentamento. Em 14 de Janeiro de 1890, o Partido Republicano Português organizou uma grande manifestação em Lisboa, acusando o rei D. Carlos e o Governo de terem traído os interesses dos Portugueses em África.

O Partido Republicano

Os republicanos achavam que à frente do País não devia estar um rei, o qual nem sempre tinha as capacidades necessárias para o cargo, mas sim um presidente eleito pelos Portugueses e que governasse só durante alguns anos. Consideravam, portanto, que a forma de governo do País tinha de ser alterada. A monarquia devia ser substituída por uma república.

A ação do Partido Republicano

O 31 de Janeiro de 1891

Em 31 de Janeiro de 1891 deu-se, no Porto, a primeira revolta armada contra a monarquia. A guarda municipal, fiel à monarquia, venceu os revoltosos. O número de mortos foi grande.

O Regicídio

No dia 1 de fevereiro de 1908, em Lisboa, dá-se um atentado contra a família real. São mortos o rei D. Carlos e o príncipe herdeiro, D. Luís Filipe.

Com a morte de D. Carlos e do príncipe herdeiro, Luís Filipe, foi aclamado rei D. Manuel II, que tinha apenas 18 anos.

A Revolução Republicana

1. Bombardeamento do Palácio Real pelos republicanos.
2. Fuga do rei D. Manuel II para Inglaterra.
3. Prisão dos padres jesuítas pelos republicanos.
4. Barricadas republicanas na Rotunda.
5. Desembarque da marinha no Terreiro do Paço.
6. Proclamação da República na Câmara Municipal.
7. Visita do Governo Provisório aos revolucionários acampados na Rotunda.

Na manhã de 5 de Outubro de 1910, José Relvas e outros membros do diretório do Partido Republicano Português, à varanda da Câmara Municipal de Lisboa e perante milhares de pessoas, proclamaram a República.

Símbolos da República: Hino Nacional

Símbolos da República: Bandeira Nacional

O verde, que é a cor da Natureza, simboliza a liberdade.

O vermelho, que é a cor do sangue, representa a vida.

A esfera armilar simboliza o mundo que os navegadores Portugueses descobriram. Os sete castelos simbolizam a independência de Portugal. O escudo com as cinco quinas representa o nascimento da Nação.

Diferenças entre Monarquia e República

O chefe de estado era o Rei.

O Rei herdava o trono.

O rei governava até à morte.

O chefe de estado é um Presidente.

O Presidente da República é eleito.

O seu mandato é limitado no tempo.

Autor: Prof. Carlos Antunes
_

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.