Início Histórias Saiba que monumentos pode alugar e quanto custa

Saiba que monumentos pode alugar e quanto custa

Jantar na Sala do Baluarte da Torre de Belém? 7.500 euros. Há dezenas de monumentos disponíveis mas o Governo vai restringir "fortemente" o aluguer.

448
COMPARTILHE
Saiba que monumentos pode alugar e quanto custa
Saiba que monumentos pode alugar e quanto custa

Saiba que monumentos pode alugar e quanto custa

Jantar na Sala do Baluarte da Torre de Belém? 7.500 euros. Há dezenas de monumentos disponíveis. Mas o Governo vai restringir “fortemente” o aluguer após o polémico jantar no Panteão.

Ao todo, há 23 monumentos tutelados pela Direção-Geral do Património Cultural onde é possível organizar jantares, cocktails ou eventos — sejam eles académicos, culturais ou empresariais.

E a procura é muita: segundo o Expresso, desde que Jorge Barreto Xavier aprovou o despacho para tabelar e regulamentar o aluguer de monumentos, a receita do Ministério da Cultura triplicou.

Do total dos 2.140 milhões de euros arrecadados pelo Governo nos últimos seis anos, três quartos foram após a aprovação do despacho aprovado pelo Governo de Pedro Passos Coelho, a 24 de junho de 2014. Só o Governo de António Costa arrecadou 1.050 milhões.

Conheça aqui os monumentos (ainda) disponíveis para aluguer, quem sabe a pensar numa festa de anos, o jantar de Natal ou o réveillon.

Quanto custa? O que lá pode fazer? Em que espaço?

Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves (Lisboa)

Não há jantares, só eventos culturais

Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves (Lisboa)

O edifício, que venceu o Prémio Valmor de arquitetura em 1905, foi durante anos a casa e atelier do pintor José Malhoa. Em 1932, mudar-se-ia para lá o médico e colecionador de arte Anastácio Gonçalves. Após a morte de Anastácio Gonçalves, em 1965, o edifício e a respectiva coleção (cerca de 3.000 obras de arte) foram legados ao Estado.

A Casa-Museu Dr. Anastácio Gonçalves abriu no começo da década de 1980. Hoje, é possível encontrar na Casa-Museu, por exemplo, pintura portuguesa dos séculos XIX e XX, nomeadamente um conjunto de desenhos e aguarelas pertencentes ao espólio do pintor Silva Porto.

Não é possível organizar um jantar ou cocktail na Casa-Museu. Mas é permitida a organização de eventos culturais ou académicos no atelier e Salão Nobre. Custo? 1.000 euros. Mais dispendiosa é a utilização do espaço para filmagens comerciais: 2.000 euros.

Convento de Cristo (Tomar)

22 salas para alugar, mas nem todas para cocktails

Convento de Cristo (Tomar)

A rodagem de um filme no Claustro Principal do Convento de Cristo, em Tomar, custa 5.000 euros. Em junho deste ano, e depois de Terry Gilliam (um dos fundadores dos Monty Python) lá ter rodado “O Homem que Matou D. Quixote”, um funcionário não identificado do Convento de Cristo denunciou à RTP que o Claustro Principal deste monumento inscrito na lista de Património Mundial da UNESCO ficou com “pedras danificadas e árvores totalmente cortadas pela raiz”.

Um outro funcionário, também não identificado, acrescentou que a equipa de filmagens “andou no teto da charola [da igreja]” deixando “telhas partidas por todo o lado”. A Direção-Geral do Património Cultural resolveu abrir um inquérito. Mas explicou na altura que os estragos tinham acontecido “por acidente”. Também a produtora do filme garantiu que todas as modificações feitas no Convento tinham sido autorizadas – algo que a direção do Convento desmentiu.

A Direção-Geral do Património Cultural disponibiliza no Convento de Cristo 22 espaços distintos para aluguer. Na maioria deles, é certo, não são permitidos jantares ou cocktails, eventos culturais, académicos ou comerciais.

Olhando aos preços, é mais “económico” (1.000 euros) jantar na Sala das Talhas, com uma lotação para 80 pessoas, do que organizar um evento cultural na Horta dos Frades, o espaço (com uma lotação máxima de 1.000 pessoas) mais dispendioso de todos: 7.500 euros.

Mosteiro de Santa Maria da Vitória (Batalha)

250 euros para festa ao lado de túmulos de D. João I e D. Filipa

Mosteiro de Santa Maria da Vitória (Batalha)

Este monumento gótico memorial da batalha de Aljubarrota e panteão régio (estão lá os túmulos de D. João I e D. Filipa de Lencastre) tem somente três espaços disponíveis para aluguer: o auditório, o Claustro Real e as Capelas Imperfeitas.

É possível organizar nestas últimas um cocktail por somente 250 euros, por exemplo. Mais avultada é a despesa em caso de evento social (5.000 euros) ou jantar (1.000 euros) no Claustro Real.

O Mosteiro de Santa Maria da Vitória (cuja construção teve início em finais do século XIV e prolongou-se por mais de 150 anos) é Património da Humanidade definida pela UNESCO desde 1983. Foi até à das ordens religiosas, em 1834, a “casa” da ordem de S. Domingos.

Mosteiro de Alcobaça (Alcobaça)

Mil pessoas podem jantar no dormitório

Mosteiro de Alcobaça (Alcobaça)

Eventos sociais, infantis ou comerciais são proibidos nas dependências medievais do Mosteiro de Alcobaça, mas aceites no Mosteiro de Alcobaça os académicos ou culturais. Mas é possível fazer um jantar para cerca mil pessoas no dormitório por 3.000 euros e um cocktail por metado do preço nos claustros (da Hospedaria ou da Portaria, onde podem conviver entre 100 e 200 pessoas).

O Mosteiro de Alcobaça foi erguido, em meados do século XVII, por monges da Ordem de Cister. Os terrenos tinham sido oferecidos, em cumprimento de uma promessa, à Ordem por D. Afonso Henriques aquando da conquista de Santarém. O Mosteiro de Alcobaça é considerado um dos primeiros edifícios de arquitetura gótica em Portugal, e foi inscrito na lista do Património Mundial da UNESCO em 1983.

(cont.)

1
2
3
4
5
6
COMPARTILHE

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here