Início Histórias Sabia? Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto

Sabia? Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto

São os primeiros mosaicos romanos identificados no Porto e dos raros, até hoje, conhecidos no norte do País. Conheça o Pátio Romano e muito mais.

Sabia? Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto

Sabia? Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto

São os primeiros mosaicos romanos identificados no Porto e dos raros, até hoje, conhecidos no norte do País. Conheça o Pátio Romano e muito mais.

Falamos da Casa do Infante, um edifício que é a própria história da cidade do Porto. É um dos mais antigos da cidade e hoje abriga um museu que é de visita obrigatória.

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto
Casa do Infante, Porto – Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto

Inicialmente, foi ali que o rei D. Afonso IV, em 1325, mandou construir mandou construir neste local o “almazém” régio, contra a vontade do Bispo do Porto, então senhor do burgo. Assim nasceu a Alfândega do Porto, para onde eram encaminhadas todas as mercadorias que aportavam à cidade, a fim de ser cobrado o respectivo imposto.

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto
Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto
Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto
Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto

Por se situar junto à margem do rio e próximo do mar, o Porto foi sempre uma cidade mercantil, de negócios e de comerciantes. E fazer uma visita a este edifício medieval, leva-nos a conhecer muito da história da cidade, além de podermos apreciar os detalhes da arquitetura daquela época.

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto
Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto

É na Casa do Infante que se encontra o Arquivo Histórico da Cidade onde é possível pesquisar sobre os variadíssimos assuntos relacionados com a sua história. Inclusive conhecer documentos seculares raríssimos.

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto
Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto

Logo no início da visita à Casa do Infante, encontramos uma série de ruínas e vestígios da época romana, comprovando que o Porto, ou melhor, esta região onde se encontra a cidade, já era habitada desde os séculos III e IV, como podemos observar neste pavimento mosaico policromático típico daquela época.

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto
Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto

Ao iniciarem-se as pesquisas, os arqueólogos depararam-se com vestígios de um palácio do século IV d.C.. A descoberta foi de algum modo inesperada, devido à dimensão do edifício e à qualidade das estruturas. Entre estas, contam-se os primeiros mosaicos romanos identificados no Porto e dos raros, até hoje, conhecidos no norte do País.

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto
Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto

Também ruínas de construção romana foram descobertas no subsolo do edifício da antiga Alfândega.

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no PortoUma das coisas que mais prende a atenção dos visitantes é a maquete da cidade na sua época medieval. Perdem-se de bom grado uns bons minutos para apreciar aquelas ruelas que hoje tanto gostamos de percorrer.

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no PortoObservar aqueles telhados e edifícios, sabendo que são tão antigos e que alguns deles ainda podem ser encontrados nos dias de hoje.

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no PortoPátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto

Ter a perfeita noção de como era a cidade cercada pelas muralhas.

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no PortoA representação do edifício da Alfandega com as suas duas torres, que também anexava a Casa da Moeda onde, curiosamente, Pero Vaz de Caminha trabalhou como mestre da balança.

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no PortoOs pisos superiores das torres eram destinados a habitações, onde terá nascido o Infante D. Henrique, patrono dos descobrimentos portugueses.

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no PortoDaí o nome, Casa do Infante.

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no PortoPor entre salas e expositores, vamos também conhecendo como funcionava a entrada de mercadorias na cidade.

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no PortoPátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto
Os selos que as mercadorias só recebiam, após o desembargo.

Os principais produtos que circulavam na alfândega naquela época eram objetos utilizados no dia a dia das pessoas da cidade.

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no PortoPátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto

Vinda do Oriente, Brasil, norte da Europa ou outros pontos de produção do país, a cerâmica era um desses produtos nas suas diversas versões.

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no PortoPátio Romano descoberto na Ribeira, no PortoMas também podemos encontrar no museu, muitos produtos que eram fabricados nas indústrias de cerâmica e fundição da própria cidade do Porto.

Pátio Romano descoberto na Ribeira, no Porto

Com o surgimento desta Alfândega a cidade cresceu, tornando-se num forte polo económico. Anexa ao edifício funcionou a Casa da Moeda do Porto, desde o Século XIV.

Com grandes obras de remodelação no século XVII, a Alfândega manteve-se neste local durante mais de 500 anos.
_


OUTROS ARTIGOS QUE LHE PODEM INTERESSAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Óptima reportagem. Todavia sugiro ao autor que reveja o seu português, pois frases como esta deixam muito a desejar: “Inclusive conhecer documentos raríssimos que remontam à séculos atrás”.
    Eu aprendi que o verbo haver se escreve sempre com *h*. e “séculos atrás” é atrás de quê?
    Um pleonasmo hoje em dia muito em moda mas inadmissível em jornalismo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.