Início Histórias Portugal: os turistas mais difíceis de contentar

Portugal: os turistas mais difíceis de contentar

O Museu dos Coches só tem coches e o Oceanário só tem peixes. O vulcão das Sete Cidades não está em erupção. Conheça os turistas mais difíceis de contentar.

7001
Portugal: os turistas mais difíceis de contentar
Portugal: os turistas mais difíceis de contentar - ©Singa Hitam

Portugal: os turistas mais difíceis de contentar

O Museu dos Coches só tem coches e o Oceanário só tem peixes. O vulcão das Sete Cidades não está em erupção. Conheça os turistas mais difíceis de contentar.

Tripadvisor e Yelp são dois sites muito conhecidos por quem gosta de viajar e quer obter informação sobre destinos, monumentos, hotéis, restaurantes. Há de tudo aqui e são os utilizadores que avaliam os mais variados locais por onde passam.

Os dois sites permitem que cada pessoa que visita um monumento, uma cidade, o que for, dê uma nota (entre um a cinco – Péssimo a Excelente) e escreva umas linhas a explicar o seu contentamento ou a sua desilusão. E se acha que toda a gente fica deslumbrada com a Lagoa das Sete Cidades, com o Palácio da Pena ou com o tanque central do Oceanário de Lisboa, engana-se.

turistas que não cedem assim tão facilmente à beleza natural, aos monumentos ou aos museus que visitam. Na verdade, quase tudo os aborrece.

Aqui estão alguns exemplos:

Quando os locais são apenas aquilo que dizem ser, isso é… chato, muito chato.

Museu dos Coches

Portugal: os turistas mais difíceis de contentar
Portugal: os turistas mais difíceis de contentar – © Hugo Amaral/Observador
Portugal: os turistas mais difíceis de contentar
Portugal: os turistas mais difíceis de contentar – © Hugo Amaral/Observador

“O Museu dos Coches é um museu de coches, e tudo o que havia quando o visitei eram salas, umas maiores outras mais pequenas, que estão cheias de coches” – turista de Cardiff.

Portugal: os turistas mais difíceis de contentar
Portugal: os turistas mais difíceis de contentar – © Hugo Amaral/Observador

Na altura em que escreveu a crítica e deu nota mínima ao Museu dos Coches, no Yelp, ainda estava a falar do edifício antigo. Mas ao que parece o novo também está cheio de coches…

Oceanário

Portugal: os turistas mais difíceis de contentar
Portugal: os turistas mais difíceis de contentar – © Pedro A. Pina / Oceanário de Lisboa

“Não gostámos nada. Só vimos peixes e mais peixes, esperávamos algo mais espetacular e não vimos grande coisa”, escreve Juan, um espanhol de Almendralejo.

Oceanário

Portugal: os turistas mais difíceis de contentar
Portugal: os turistas mais difíceis de contentar – © LUSA

“É pequeno, praticamente tudo gira em torno do tanque central, que é enorme. Há poucos peixes. Não percebo”, escreve um turista anónimo, de Itália.

Capela dos Ossos, em Évora

Portugal: os turistas mais difíceis de contentar
Portugal: os turistas mais difíceis de contentar – © Paul Koudonaris

Capela dos Ossos, em Évora: “É uma capela totalmente decorada com ossos e crânios humanos. A entrada é cobrada”, diz Lúcia P., do Rio de Janeiro, que dá ao monumento a pior nota possível.

(cont.)

11 COMENTÁRIOS

  1. Acabei por achar cómico. E trágico, claro! A ignorância – por si só – já é suficientemente perigosa, mas quando aliada a outras ‘qualidades’ da mesma categoria, é absolutamente fracturante!

  2. Tanta ignorância! Assim fica difícil até comentar… Conheço todos esses lugares e achei-os todos maravilhosos! Inacreditável! Mas atribuo todas as críticas idiotas ao mal humor dessas pessoas. Turistas mal humorados não deviam sair de casa!

  3. Pergunto, qual a razão que leva essa gente a visitar museus? Lógico que um museu de coches tem coches, um aquário tem peixes…Santa ignorância.

  4. A primeira vez que estive em Portugal foi em 1987; uma semana passando por Coimbra, Porto e Lisboa. Achei o país muito parecido com o Brasil, meio caótico para falar a verdade, infraestrutura precária e outros problemas.
    Em 2010, minha filha formou-se na Universidade do Porto. Estive de novo em Portugal, “turistiei” por vários lugares, Lisboa, Sintra, Fátima e outros locais e me encantei com o que vi. Diferença em relação a 87 foi gritante.
    Em 2016, estive de novo. Aveiro e cidades próximas, só cegos não enxergam tantas maravilhas.
    Em 2018, mais uma vez, parti de Matosinhos para Santiago de Compostela, via litoral …preciso voltar, mas gostaria de ficar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.