Início Cultura Palavrão a palavrão: de onde vieram as asneiras

Palavrão a palavrão: de onde vieram as asneiras

Sabe de onde vem a palavra pê-u-tê-a? Esta é a história do "asneiredo" nacional. Palavrão a palavrão: de onde vieram as asneiras.

3593
COMPARTILHE

_

Porra:

Não se sabe ao certo de onde terá vindo a palavra porra. Na Origem da Lingua Portugueza, obra publicada no século XVII, o historiador Duarre Nunes de Leão refere que o termo é de origem árabe. Porém, a teoria mais consensual é a de que a palavra terá surgido em Espanha.

Segundo Rafael Bluteau, durante o reinado de D. Afonso V (1432-1418), terá chegado a Portugal uma família de nobres castelhanos de apelido Porra, cujo brasão apresentava cinco maças (armas) com cabos verdes sobre um campo dourado.

No Vocabulario Portuguez e Latino, Bluteau explica que a palavra porra é, nada mais nada menos, do que o diminutivo da palavra cachaporra, uma espécie de pão que é mais grosso numa ponta do que na outra. De acordo com a definição de Eduardo Nobre, no Dicionário de Calão, na gíria popular porra serve para descrever o órgão sexual masculino, podendo também significar pau ou bastão.

Caralho:

“A frequência de uso dos termos que designam os órgãos sexuais, tanto femininos como masculinos, é relativamente baixa. Palavras que designam o sexo são normalmente banidas da conversação entre gente educada”, escreveu Heinz Kröll em O Eufemismo e o Disfemismo no Português Moderno. Apesar disso, em português, parecem não faltar palavras para as descrever. Uma delas é caralho.

É também de carajo que vêm expressões como carago ou caraças, formas mais suaves de dizer caralho. Alguns palavrões, “à força de serem evitados em toda a sua ‘expressividade’, deram origem a outras formas mais suaves, que geralmente mantêm uma das sílabas”, explicou o especialista em lexicologia.

Apesar de não se saber ao certo de onde terá vindo a palavra caralho, pensa-se que terá tido origem no espanhol carajo, uma expressão que pode designar um pau ou uma parte específica de um navio — a vigia, o lugar mais elevado de uma embarcação. A palavra, “muitíssimo frequente na Península Ibérica”, pode ter “uma origem ainda anterior à romanização”, defende João Paulo Silvestre.

Merda:

Apesar de ser muitas vezes associada ao francês merde, a palavra merda é muito mais antiga. No latim clássico, merda era sinónimo de esterco ou de excremento. De acordo com alguns autores, o palavrão será uma derivação da palavra Erda, uma localidade romana conhecida por ser muito suja.

Em português, a palavra é geralmente substituída por outras que rimam com ela, como nas expressões vá a Palmela! ou vá pr’á marela, salientou Heinz Kröll. Mais comum, porém, é a expressão vá pentear macacos!.

(cont.)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here