Início Histórias Os Grandes Portugueses

Os Grandes Portugueses

Encontrar o primeiro entre os grandes portugueses da nossa história, é uma tarefa muito difícil. Mas podemos ver os melhores entre os Grandes Portugueses.

1025
COMPARTILHE

PEDRO NUNES

Pedro Nunes

Talvez o maior cientista português de todos os tempos

Pedro Nunes, em latim  PETRUS NONIUS (N. em 1502, Alcácer do Sal, M. em  Coimbra a 11 de Agosto de 1578), matemático,  geógrafo, e figura principal da ciência náutica portuguesa, notado pelos seus estudos sobre a terra incluindo os oceanos. De família de ascendência judaica, Pedro Nunes estudou na Universidade de Salamanca, e talvez na Universidade de Alcalá de Henares.

Pedro Nunes foi depois professor de matemática em Lisboa e Coimbra, e tornou-se cosmógrafo real em 1529, quando da disputa com a Espanha sobre a posição das ilhas das especiarias, pois os mapas daquele tempo não estavam de acordo sobre a longitude dessas mesmas ilhas. Dedicou-se pessoalmente à solução desses problemas assim como à cartografia em geral. Foi para Espanha em 1538, mas regressou a Portugal em 1544 e tornou-se numa autoridade sobre as posições geográficas das novas descobertas de Portugal e Espanha. Em 1547 passou a cosmógrafo-mor do reino.

Dedicou-se também à investigação, tendo publicado em 1542 a obra “De Crespusculis”, onde descreve em pormenor uma sua invenção, que consta de uma escala, anexa a uma escala principal, que permite ler frações de divisão com um rigor muito maior do que o obtido por estimativa. Esta invenção, que lhe deu fama mundial, conhecida pelo nome de “nónio “, foi depois desenvolvida pelo francês Pierre Vernier, que lhe deu a forma retilínea atual (o de Pedro Nunes era circular).

Em 1537, escreve o “Tratado da Sphera”, altura em que inventa as linhas de rumo, posteriormente designadas loxodromias.

LUÍS VAZ DE CAMÕES

Luís Vaz de Camões

O maior poeta português

Luis Vaz de Camões (N. c. 1524/25, Lisboa, M. a 10 de Junho de 1580, Lisboa), o maior poeta português de sempre, autor do poema épico “Os Lusíadas” (1572), que descreve a descoberta do caminho marítimo para a Índia por Vasco da Gama.

Camões teve um impacto permanente e sem paralelo na literatura portuguesa e brasileira, devido não só ao seu poema épico mas também à muita poesia lírica publicada posteriormente.

Os Lusíadas são um poema épico escrito em 10 Cantos, em oitava rima e com 1.102 estrofes.

SEBASTIÃO JOSÉ – Conde de Oeiras e Marquês de Pombal

Marquês de Pombal

O reconstrutor de Lisboa

Nasceu em Lisboa a 13 de Maio de 1699, filho de Manuel de Carvalho e Ataíde, capitão de cavalaria e nobre da Casa Real. O pai de Sebastião José morreu jovem e a mãe voltou a casar-se. O seu tio Paulo de Carvalho era professor na Universidade de Coimbra, pessoa de influência política e colocou o sobrinho nessa Universidade. Sebastião José abandonou os estudos e alistou-se no exército onde não passou de simples cabo.

Desiludido com o exército, casou aos 23 anos, com uma senhora 10 anos mais velha e viúva. Era odiado por uns e admirado por outros. Foi um dos maiores estadistas da nossa História, durante o reinado de D.José, desenvolve uma intensa atividade de recuperação económica, patrocínio das artes e cultura e revolução do pensamento político, que vem culminar com o ato extraordinário da reconstrução da cidade de Lisboa após o terramoto de 1755.

Foi embaixador de D. João V nas cortes inglesa e austríaca. Estas missões foram importantes para a formação política e económica de Sebastião José de Carvalho e Melo. Na Áustria casou, em segundas núpcias, com D. Leonor Daun.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here