Lisboa de outros tempos: a chegada dos Almanjarras

No princípio do século XX era a grande novidade da capital e causava espanto aos lisboetas. Lisboa de outros tempos: a chegada dos Almanjarras.

0
1060
Almanjarras

Em 1902, vêm dos Estados Unidos os primeiros carros abertos com 12 bancos transversais. Ao lisboeta, pareceram tão grandes que metiam medo, afigurando-se-lhe mesmo incapazes de desfazer as curvas das ruas da cidade. Adquiriram logo a alcunha condizente de «almanjarras».

Almanjarras
Almanjarras
O jornal Novidades traduziu assim o sentimento que a sua chegada provocou: ‘É uma aventesma formidável. Se abalroar com alguma coisa, acaba-se a coisa e acaba-se o mundo. Fica todo num figo.’
Almanjarras
Almanjarras
Os primeiros 10 «almanjarras» aportaram a Lisboa em Janeiro de 1902. Fabricados em Filadélfia pela J. G. Brill, possuíam motores General Electric, ‘bogies’ de tracção máxima (tipo 22E) e dois ‘trolleys’.
Almanjarras
Almanjarras
Mediam 11,33 metros, pesando 11.380 quilos. No dia 10 de Março vieram mais 30, a bordo do vapor Friede, em 477 contentores. Receberam números entre o 283 e o 322. O primeiro da série está hoje no Museu da Carris.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here