Início Histórias 70 diferenças entre Portugal e Brasil por uma brasileira

70 diferenças entre Portugal e Brasil por uma brasileira

70 diferenças entre Portugal e Brasil por uma brasileira. Um texto muito divertido e bem humorado que vale bem a pena ler e partilhar com os seus amigos.

22229
COMPARTILHE
70 diferenças entre Portugal e Brasil por uma brasileira
70 diferenças entre Portugal e Brasil por uma brasileira

70 diferenças entre Portugal e Brasil por uma brasileira

Olá, tenho 24 anos, sou brasiliense, publicitária, a realizar um intercâmbio profissional em Lisboa, Portugal, e quero compartilhar um pouco sobre as aventuras e dificuldades dessa experiência maluca.

Aqui vão, então, algumas diferenças entre Portugal e Brasil:

1. Aqui em Portugal as pessoas fumam muito. Desde jovens a velhinhos. E é em qualquer lugar, na calçada, na parada, na esquina, nos restaurantes abertos, em todo lugar. E há muitos tocos de cigarros no chão.

2. Muitas pessoas estacionam seus carros na calçada atrapalhando o pedestre. Por isso há uns tocos de concreto na calçada para evitar que as pessoas estacionem lá.

3. Aqui não se diz “tchau”. Se diz “até já” ou “té amanhã”.  Mesmo quando você não verá essa pessoa tão cedo. E no telefone se diz “beijinhos”.

4. O ônibus para exatamente aonde você está na parada, mesmo se ele for atrapalhar o trânsito.

5. Aqui há muitos carros antigos. As pessoas compram carros quase que pra vida inteira. Se está em bom estado por que trocar de 3 ou 5 anos? (Também faço essa pergunta).

6. Aqui os portugueses reclamam do trânsito, mas acredite, o trânsito é tão de boa. São só alguns poucos minutos.

7. Aqui quando dizem que um local é muito longe, na verdade é ali do lado. A noção de distância dos portugueses é muito diferente da gente. Nós achamos tranquilo ir de Brasília a Goiânia (209km) em 2h30, enquanto que para eles passar mais de 1h dentro de um carro/ônibus é uma viagem.

8. Aqui eles não “entendem”, “percebem”. Você não pergunta: “Entendeu?”. Pergunta: “Percebes?”.

9. Por mais que o idioma seja o mesmo no início eu tinha muita dificuldade pra entender o que diziam. Eles falam muito rápido, engolem algumas sílabas e muitas palavras e pronúncias são diferentes. O que dá um nó na sua cabeça e te faz entender absolutamente nada. As vezes você se pergunta se falamos realmente o mesmo idioma. Já para os portugueses, o português do Brasil é tranquilo.

10. Nós (brasileiros) não falamos português, falamos brasileiro para eles.

11. Eles falam arranhando o “r” e com muito som de “shhhh” no “s”. Como Pichina (Piscina), seishhh (seis), etc.

12. Aqui não se usa muito o gerúndio. Se você “está falando com alguém”, você “está a falar com alguém”.

13. Aqui usam-se o “tu” e se conjuga o verbo certinho. O você é pouco usado e dependendo da ocasião é rude.

14. Aqui todos são senhores e senhoras, até mesmo os jovens. Enquanto no Brasil chamar até mesmo alguns velhinhos de senhor, eles se ofendem.

15. Não chame as pessoas de moço ou moça. Não sei bem o porquê, mas eles não gostam.

16. Os acentos são o contrário e as vezes se pronuncia da mesma forma (what?).

17. Eles adoram o verão. Sol, praia, férias é tudo de bom pra eles.

18. Aqui o que é “legal” ou “massa” é “giro” ou “fixe”. Ou as vezes, “muito legal” é “bué fixe”.

19. Aqui não existe padaria, é pastelaria. E o pastel não tem nada a ver com o que conhecemos no Brasil. 90% deles são doces e são uma delícia. Se vieres cá tens de provar o pastel de Belém.

20. Os portugueses costumam comer muito doce no café da manhã, que por aqui se chama de “pequeno almoço”.

1
2
3
4
COMPARTILHE

18 COMENTÁRIOS

  1. Tudo que disse é exatamente o qu vi, senti, achei sobre Portugal, seus comentários estão certíssimos! Parabéns! Aproveite Lisboa. EStou a amar também!

  2. Ainda muita confusão e falta de informação…..chapéu de chuva e guarda chuva é usual até usamos os dois termos, mas usa-se mais o termo “chapéu de chuva”, não se diz “gajo nem gaja”,é considerado ofensivo, os portugueses não gostam de “kizomba”,alguns gostam outros detestam como eu, é como dizer que os brasileiros adoram o “forró”,e não dizemos “meter o dinheiro”,mas “por”,e é claro que acha muito frio, porque está habituada a temperaturas tropicais,porque se fosse para qualquer país da Europa,sentiria o que era frio a “sério”,e quanto às greves e aos fumadores também não é assim como diz,eu nunca fumei e há muita gente que nunca fumou,o que deve ter acontecido é que frequentou lugares de festa , nocturnos onde se concentravam mais fumadores!…e muitas outras incorreções,e já agora os portugueses entendem muito bem a”porta dos fundos”!

  3. Há pedras portuguesas em todo o lugar? Existem pedras em todo o mundo e não são portuguesas… quis dizer calçada portuguesa não? Pois a calçada do Rio de janeiro se chama de ” calçada portuguesa “. Sabe porquê? Porque somos os únicos no mundo a fazer passeios desse modo. É um orgulho para nós portugueses.
    Quanto ao limão e lima? São diferentes minha querida, limão é limão e lima é lima.
    Reprou que na passadeira os carros vão sempre andando? Porque nem todo o mundo está de férias e precisa de chegar a horas ao emprego….eu conheço Rio e S. Paulo e o sinal vermelho nem é respeitado.
    Todos os países são diferentes até de cidade para cidade.
    Viajar é descobrir que todo o mundo está errado sobre os outros países

    • Bem respondido amiga, essa brasileira se esquece que se não fossemos nós eles agora seriam índios e ela se esqueceu de falar da insegurança do País dela e se é assim tão mau porquê veio para aqui…

      • Qto preconceito ! ela mostra pouco conhecimento ainda , mas o texto é bem humorado , sem criticas . Ainda bem que os portugueses de forma geral não são como o senhor .

      • Aff.. se não fossem vocês infelizmente não seríamos índios porque exploradores existiam vários. Espanhóis provavelmente. Indio q tem remédios que branco vem roubar, que branco até hoje mata.
        Os portugueses são apenas exploradores, escravocratas de povos , não colonizadores de fato. Sugaram até a corte sair fugida de Portugal por Napoleão, quando foram obrigados a colaborar mais com o país , já q a corte estaria por lá.

        • Pedro, queres mesmo falar sobre história?
          Antes de mais, o que foi dito supra, não é nem nunca foi o entendimento geral do português, e por isso mesmo se deve ter algum cuidado com as afirmações e generalizações que se faz relativamente a um povo.
          Feita esta pequena (grande) observação, passemos ao que nos trouxe até aqui (por si)
          Vamos lá falar de história então e os países ditos colonizadores: Os espanhóis eram e sempre foram um povo sanguinário, aliás dá para perceber o que fizeram na américa latina, quando dizimaram todos (ou quase todos) os povos que lá habitavam. Quer mesmo ir por aí? Já os holandeses sempre foram piratas (corsários) apenas queriam bens e dinheiro. Além do mais se formos a ver eram e sempre foram extremamente racistas (basta ver ao longo da história a sua colonização e levantamento de feitorias, especialmente em África). Será que o Brasil seria exceção? Não! Quando o holandês chegou ao Brasil (Nordeste) rapidamente começou a escravizar, etc.
          Por último os ingleses… ah os ingleses que até ao sec. XIX e mesmo no início do sec. XX ainda tinham escravos (vindos do oriente) esse povo que rebentou e sempre rebentou com todos os países por onde passavam… esses sim, que só no sec. XX consideraram os indianos como gente. De facto eram bons…
          Quanto aos portugueses, de facto a corte teve de sair de portugal com as invasões napoliónicas, mas dizer o quê? Mas os portugueses são apenas exploradores… aliás em termos de divisão de território, a primeira unidade administrativa (isto é, jurídico administrativa de repartição de território) dita moderna é portuguesa e só depois posteriormente suplantada pela unidade administrativa napoliónica, que, curiosamente foi “beber” às ideias portuguesas de repartição e divisão de território. Ora essa unidade administrativa foi posta em prática no Brasil. Que se tornou (antes colónia) num verdadeiro território nacional, ou seja, parte de Portugal. Daí que se explica a fuga da família imperial para o Brasil. Relativamente às práticas esclavagistas de facto existiram, mas não foi Portugal o primeiro a abolir (no mundo???) e além do mais quer mesmo de falar de escravatura? sabe como se processava? sabe ao menos quem é que fornecia??
          Sugaram o território? ahahah, o Brasil sempre foi uma potência e sempre será. Os portugueses que estiveram no Brasil, os colonos (porque de facto existiram colonos) que foram para o Brasil (RJ, e Nordeste) e que começaram a desenvolver.

          Relativamente à primeira parte do seu brilhante comentário, nem vou comentar por ser ridículo e desprovido de qualquer fundamentação…

          Por fim, só para dizer que antes de escrever “patacuadas” e atacar todo um povo, convém perceber se de facto é só uma pessoa que felizmente tem algum ódio ou não.

  4. Acho que nunca tinha lido algo tão disparatado e que demonstra claramente o desconhecimento que esta pessoa tem de Portugal.
    Portugal não é só Lisboa, e nem Lisboa representa Portugal.
    Claro que concordo com muitos pontos, mas dá para perceber que existem muitos preconceitos à mistura.
    Adorava debater com esta pessoa vários pontos e tentar perceber o que distingue as prioridades do brasileiros com as dos portugueses.
    Somos diferentes??? Até Pedro Alvares Cabral conseguiu perceber isso de tão óbvio que é!

  5. As diferenças linguísticas do Português falado em Portugal, no Brasil, e nos “Palop’s”.

    Quanto ao Brasil tudo se deve ao facto de o Brasil ter uma população maioritariamente descendente de colonos e posteriormente, também de emigrantes de muitos países, e que obviamente tiveram que aprender o português, uns, de forma mais correcta e outros menos correcta.
    Acrescente-se ainda que, cada um ia aplicando uma fonética de acordo com o que lhe parecia ser o que ouvia de outros indivíduos que também não eram portugueses.
    Basta visitar Angola, Moçambique, Cabo Verde, Timor, Guiné Bissau e até mesmo no que ainda hoje existe em Macau, Goa, Damão e Diu, para se perceber porque falam tão bem o português.
    Certamente que os verdadeiros brasileiros (os índios) quando começaram a conviver e consequentemente a aprenderem português, com os primeiros colonos portugueses, terão conseguido falar de forma muito diferente da que os descendentes de colonos e emigrantes o fazem hoje em dia.

  6. Faltou uma boa revisão no texto de coisas que estão erradas na forma de falar e tem muito da perspectiva dela ou que foi algo esporádico. Essa não é a Lisboa que vivo a 7 anos, mas parece em alguns pontos.
    P.S. Do jeito que ela escreveu fiquei com a impressão de que Lisboa é Cuba! 😛

    • Também concordo amigo e depois ela só conhece Lisboa do resto do País não deve ter conhecimento.
      E quanto a lingua deviam era ter vergonha de falarem tão mal o Português, se esquecem que o verdadeiro Português é o nosso; enfim…

    • Conheces Cuba? Não vi nenhum preconceito no que ela falou. Pode ser generalista mas tem muita verdade. E ela fala do tempo dela em Portugal, que é pouco. Quanta falta de empatia e amor no coração. Com certeza vocês são aqueles que dão a impressão de não gostar de brasileiro.

  7. Ola sou uma brasileira que tenho muito amor a esta maravilhosa Terra Lusitana. Falamos o portugues um tantinho diferente pois estamos com uma grande miscegenacao de racas, nosso Portugues e mais suave e cada regiao aqui se pronuncia de um jeito nosso Pais e de uma imensidao que seria impossivel falarmos todos com o mesmo sotaque. Sou da regiao Sudeste(SaoPaulo) e moro no Nordeste que e Recife. Mas adoro chegar em Lisboa e ouvir Ola Quiridaaa! Acho um charme e bastante carinhoso o sotaque Lisboeta e fiche!

  8. Concordo com alguns pontos, e discordo totalmente com outros. Penso que a brasileira que escreveu este texto, ainda não conhece verdadeiramente Portugal, os portugueses e seus hábitos. Não me identifico com o “tipo” de português que ela aqui descreve. Por acaso tanto digo “chapéu de chuva” como “guarda chuva”, é indiferente, é ofensivo chamar moço ou moça? Não sabia, pois é palavra que uso muitas vezes quando me refiro a gente mais jovem, e por aí adiante. A festa na rua começa às 23 e tem pouca musica? Pois a que tem, mais o barulho dos festeiros já é suficiente para incomodar quem precisa dormir. Aqui, ao contrário do que alguns países pensam, trabalha-se e muito. Claro que também temos os que se “encostam” aos subsídios etc. e quanto aos tocos de cigarros no chão, isso, infelizmente é verdade em algumas zonas da cidade(nem todas). Fuma-se muito,é verdade, portugueses gostam de Kizomba? não generalize! Nem todos gostam. Cá em casa eu gosto mas o marido e o filho detestam, e é assim…..por aí fora. Sugiro que fique a viver por cá mais uns bons aninhos, e quando se sentir como uma portuguesa, refaça este texto, decerto que irá encontrar diferenças.

    • Foram impressões apenas. O texto talvez fosse melhor aceito se ela dissesse que também se chama o guarda chuva de chapéu de chuva. Achei ela gentil. Em Portugal tive a mesma impressão sobre moço e moça. Aqui no Brasil usamos para chamar qualquer um que não conhecemos; em Portugal toda vez , toda mesmo, que chamei um atendente de loja ou cafeteria assim recebi em troca uma cara enfezada e emburrada e uma má vontade terrível.

      • A questão do Moço ou Moça que usais para chamar alguém aqui não é apreciada porque está associada a pessoa de baixa cultura, resumindo é depreciativo, e só não respondem á altura porque percebem que sendo Brasileiro podes não estar familiarizado com a norma.

  9. Bem de uma forma geral a tua observação não está de todo mal, tem algumas afirmações que não são de todo verdadeiras e devido a não teres conhecido Portugal mas tão só Lisboa.
    E a tua ideia de conheceres Portugal em duas semanas, só prova o quanto tens de andar para conheceres um pequena parte, eu que farto-me de andar e nasci aqui não conheço, a não ser por fotografias, mas por essa ordem então também conheço o Brazil, Portugal é muito pequeno em relação ao Brazil é verdade, mas tem zonas bem diferentes em modos de viver, tradições diversas e sotaques muitos deles que até difíceis de entender por outros Portugueses, a dificuldade muitas vezes em entender a língua que é a mesma, tem a ver com usos e costumes que se vão empregando conforme as vivências e por vezes inventam-se novas palavras e expressões, do Português, e no Brazil isso é evidente, porque em todos os Países onde se fala o Português isso acontece, e penso, não afirmo que sendo Português será mais fácil entender no geral outros sotaques e expressões da nossa língua, e ao contrário do que imaginavas em Portugal os Brasileiros são bem tratados, não quer dizer que alguns, e cada vês mais Portugueses, comessem a ficar cautelosos, porque de facto na imprensa aparecem muitas noticias de Brasileiros e Brasileiras que vieram para Portugal e não são um bom cartão de visita para ninguém, devido ás suas atitudes, por isso aconselho-te que para teres uma ideia mais acertada de Portugal, que passes umas temporadas, no Porto, Minho, Trás os Montes, Alentejo, Algarve, Açores e Madeira, e no fim penso que vais ficar a perceber que de facto ainda podes conhecer muito mais de Portugal, faz isso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here