Início Lugares 35 lugares portugueses saídos de contos de fadas

35 lugares portugueses saídos de contos de fadas

Um navio abandonado, um rio que parece um dragão azul ou os encantos da livraria Lello. Viaje connosco pelos mais encantadores lugares portugueses saídos de contos de fadas.

7025
35 lugares portugueses saídos de contos de fadas
35 lugares portugueses saídos de contos de fadas

35 lugares portugueses saídos de contos de fadas

Um navio abandonado, um rio que parece um dragão azul ou os encantos da livraria Lello. Viaje connosco pelos mais encantadores lugares portugueses saídos de contos de fadas.

Um país de pequenas dimensões, virado para o Atlântico e com uma enorme riqueza natural. Se um pintor decidisse retratar Portugal numa tela, não saberia se deixaria que as tintas se embrenhassem nas florestas, pintassem o azul à beira-mar ou as aldeias mais antigas do país.

São estas paisagens, divididas entre a beleza natural que o clima ameno propicia e a história que os lusitanos traçaram ao longo do tempo, que tornam Portugal num tesouro repleto de lugares dignos de um conto de fadas dos irmãos Grimm.

Há o rio Odeleite que mais parece um dragão azul, a carcaça de um navio abandonado na costa de Vila Nova de Mil Fontes e monumentos banhados pelo Tejo que recordam os tempos dos Descobrimentos.

Descubra as imagens de alguns dos lugares mais bonitos de Portugal, recolhidos um pouco por toda a Internet.

Portas de Ródão

35 lugares portugueses saídos de contos de fadas
© Gonçalo Capitão – 35 lugares portugueses saídos de contos de fadas

Portas de Ródão, Vila Velha de Ródão (Castelo Branco), um estreito no rio Tejo, formado pela erosão e pela água nos terrenos predominantemente compostos por quartzo.

Praia da Marinha

35 lugares portugueses saídos de contos de fadas
© Paulo Nogueira – 35 lugares portugueses saídos de contos de fadas

Praia da Marinha, Lagoa (Algarve). Foi considerada pela Michelin uma das praias mais bonitas do mundo, muito por causa das cavernas abertas pelo mar na rocha sedimentar e pela água transparente.

Piódão

35 lugares portugueses saídos de contos de fadas
© Mai Magazine – 35 lugares portugueses saídos de contos de fadas

Piódão, Arganil (Coimbra). É uma aldeia onde as casas são todas de xisto e madeira.

Foz d’ Égua

35 lugares portugueses saídos de contos de fadas
Foz d’ Égua – 35 lugares portugueses saídos de contos de fadas

Foz d’ Égua, Arganil (Coimbra). É um dos percursos pedestres mais apreciados na região, a partir do Piódão pela Serra do Açor.

Berlengas

35 lugares portugueses saídos de contos de fadas
© Turismo das Berlengas – 35 lugares portugueses saídos de contos de fadas

Arquipélago das Berlengas (Peniche). A diversidade das ilhas graníticas a curta distância do Cabo Carvoeiro. A biodiversidade do mar em redor do arquipélago torna-o muito procurado pelos amantes de atividades subaquáticas.

Farol do Penedo da Saudade

35 lugares portugueses saídos de contos de fadas
© Cláudio Matos – 35 lugares portugueses saídos de contos de fadas

Farol do Penedo da Saudade (Marinha Grande). Ilumina a praia de S. Pedro de Moel, tem base quadrangular e 32 metros de altura.

Livraria Lello

35 lugares portugueses saídos de contos de fadas
© Wikimedia Commons – 35 lugares portugueses saídos de contos de fadas

Livraria Lello (Porto). O espaço foi aberto no século XIX e foi uma das primeiras livrarias a publicar obras de Camilo Castelo Branco. Foi nela que se baseou JK Rowling (que viveu na cidade portuense) para os livros de Harry Potter.

Alqueva

35 lugares portugueses saídos de contos de fadas
Alqueva – 35 lugares portugueses saídos de contos de fadas

Lago do Alqueva (Portel, Moura, Évora e Beja). Existe desde a construção da barragem homónima, no rio Guadiana. Aqui fica o maior reservatório artificial de água na Europa.

(cont.)

38 COMENTÁRIOS

  1. […] “Depois do Castelo de São Jorge, lançamos em dezembro uma nota sobre o centenário das aparições em Fátima e vamos imprimir 10 mil notas, metade das quais já foram reservadas por colecionadores”, disse à agência Lusa Benjamin Bush, presidente executivo da empresa Euro Souvenir Portugal, detentora dos direitos da ‘nota souvenir’ em Portugal. […]

  2. […] Quando em 1177 Pêro e Aragão e sua mulher Sancha Soares vendem uma parte das Salinas de Rio Maior à Ordem do Templo, facto confirmado através de documento que é a mais antiga prova documental da existência daquele equipamento, estavam longe de imaginar que marcavam de forma efetiva a história daquele recanto extraordinário de Portugal. […]

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.