Início Opinião 3 teorias da conspiração

3 teorias da conspiração

Se estiver desocupado e quiser tornar-se famoso, pode sempre tornar-se num teórico da conspiração. Para ajudar, deixo aqui 3 teorias prontas a servir.

586
COMPARTILHE
3 teorias da conspiração

Três teorias da conspiração

Marco Neves
Marco Neves

Ora, se o meu caro leitor estiver desocupado e quiser tornar-se famoso, pode sempre tornar-se num teórico da conspiração. Só para ajudar, deixo aqui três teorias da conspiração prontas a servir. É só aquecer no microondas e servir no Facebook.

1 – A grande conspiração dos taxistas portugueses

«Então não se vê logo que os taxistas são agentes prontos a introduzir sub-repticiamente certas ideias na cabeça dos portugueses? Ah, e enquanto vão picando os pobres passageiros com as tais ideias preparadas por ELES, ainda registam as deslocações e as conversas dos passageiros. Vão por mim! Não sejam ingénuos! E os perfumes que instalam nos carros devem conter químicos perigosos, que nos deixam atordoados…»

Se quiser aproveitar esta teoria original, o leitor não tem de definir as ideias dos taxistas. Basta relatar uma ou duas conversas que já tenha tido (até podem ser verdadeiras) e mostrar, assim, sem margem de dúvida, que os taxistas andam mesmo a infectar-nos com algumas ideias perigosas. Todos os casos em que não ouve disparates da boca de taxistas são para ignorar. É assim que as teorias da conspiração sobrevivem.

Para estar na moda, até pode dar a entender que são os russos que controlam os taxistas. E pode insinuar, assim como quem não quer a coisa, de voz baixinha: «então não se vê pela forma como conduzem?»

Faz sentido? Nem por isso. Mas isso não importa.

2 – A conspiração dos traços químicos dos aviões

«Sabia que os aviões deitam uns químicos (que se vêem nos traços dos aviões no céu) para nos deixar a todos mais amaciados? Sim, é verdade! Porque é que o governo faria uma coisa tão complicada em vez de deitar os químicos na água? Hum… Não sei. E porque é que os pilotos não se apercebem de nada? São parte da conspiração, claro!… Mas, sim, esta conspiração é demasiado inverosímil… Mais vale acreditar na história dos taxistas malandros!»

Só que, na verdade, há milhares de portugueses que acreditam nisto. Porquê? Não sei bem. Não tem a ver com estupidez: alguns dos teóricos da conspiração (neste caso, dos «chemtrails») são inteligentíssimos.

Talvez estas ideias sejam uma espécie de vírus mental que se aloja no cérebro e se reproduz através de certos mecanismos: o medo de ser enganado, a desconfiança em relação ao poder, a necessidade de nos sentirmos na posse duma verdade que poucos conhecem…

O certo é que tantos assinaram uma petição sobre este disparate que ele acabou discutido na Assembleia da República — dizem que foi a primeira vez que se discutiram ideias malucas no Parlamento (mas nisso não acredito eu).

Vamos à última conspiração…

(cont.)

1 COMENTÁRIO

  1. Eu também não acreditava nessa história dos chemtrails porque não há dúvida que os aviões deixam um rasto de vapor de água que se condensa em nuvem quando as condições atmosféricas se proporcionam. E são essas nuvens-rasto que se vêem na atmosfera depois da passagem de algum avião em grande altitude.
    Mas será que isso acontece em 100% dos casos? Não! Há realmente aviões (não de passageiros) que sobem prepositadamente com o intuito de espalhar esses químicos. Isso é um facto do conhecimento público e com o apoio da ONU embora seja uma atividade polémica até mesmo dentro da própria ONU. A razão por que fazem isso é para produzir modificações climáticas benéficas para a agricultura e para a humanidade. É claro que isso é extremamente controverso e eu pessoalmente estou convencido que as verdadeiras razões são políticas e que as modificações climáticas são tudo menos benéficas.

    Quanto aos taxistas, isso não sei porque não vivo em Portugal e quando vou lá acho eles sempre simpáticos e conversadores. Duvido que eles estejam tão organizados e sejam tão perversos a esse ponto. Ainda não vivemos num estado totalitário mundial e espero que nunca cheguemos a isso.

    E finalmente quanto aos placebos eu sei que há muitos remédios e conversas médicas que têm efeitos sugestivos que auxiliam muito na cura do doente. Até sei de ocasiões em que médicos usaram propositadamente esse método para ajudar na cura. Quanto à venda nas farmácias nunca tinha ouvido falar disso antes mas seria arriscado porque podem ser facilmente apanhados e geralmente são mais espertos do que isso.

    Espero que a minha opinião ajude. De um modo geral sou uma pessoa otimista e acredito sempre no melhor para todos nós.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here